Parte dos brasileiros no Caribe não consegue resgate da FAB

Ricardo Huls em São Martinho. Foto: Regiane Shwartz
Ricardo Huls em São Martinho. Foto: Regiane Shwartz
Com informações de Narley Resende

Um avião da Força Aérea Brasileira (FAB), enviado para resgatar brasileiros afetados pelos furacões Irma e José, no Caribe, deve pousar apenas em Saint Marteen, a 250 quilômetros do arquipélago de Guadalupe. O governo brasileiro também identificou que há mais 22 brasileiros na Ilha de Tortola e 11 em Turcas e Caicos, que são territórios britânicos. No entanto, o aeroporto de Tortola não tem condições de aterrissagem após a passagem do Irma. Por isso, a FAB não vai resgatar esses grupos.

Em Saint Marteen, há apenas um grupo de 13 brasileiros. Outros 20 conseguiram integrar programas de resgate organizados por empresas aéreas e de turismo e já foram retirados da ilha. Em nota, o Itamaraty informou que o avião que fará o resgate decolou de Nova Iorque à uma hora da tarde, no horário local. A previsão é que só pare em St. Martin.

Sete dias após furacão, avião da FAB pousa em ilha para resgatar brasileiros
Brasileiros ficam sem comida e sem resgate no Caribe

Entre os brasileiros que ainda estariam aguardando o resgate estão Felipe Lirio; Helton Laufer; Jeferson Teixeira; Karen Laufer; Kristie Costa; Logan Costa; Luciana Lima; Mário César Lima Góes; Neusa do Carmo da Costa; Peterson Teixeira; Ricardo Passareli; Rômulo Gomes; e Tais Costa. “Confirmação de quantos serão resgatados só será possível quando o avião decolar para o Brasil, o que deve ocorrer ao final da tarde ou noite de hoje”, diz o Itamaraty em nota.

Entre os brasileiros que conseguiram sair por conta própria, os três mais recentes nessa segunda-feira (11), após conseguiram integrar uma lista de pessoas beneficiadas por uma iniciativa voluntária da companhia aérea Copa Airlines, que levou resgatados paro o continente, na Guiana Francesa e Panamá. De lá, os turistas resgatados devem seguir por conta própria para diversos destinos.

Furacões

O furacão José passou pela ilha de Saint Marteen no fim de semana. Antes disso, o furacão Irma já havia destruído boa parte da ilha. O grupo de brasileiros resgatado nesta terça-feira (12) ficou seis dias confinado em dois hotéis, sem abastecimento de água e comida. O grupo reclamou da demora da ação do governo brasileiro.

> “Tiraram só os americanos, ficamos olhando eles saírem”, diz brasileira isolada por furacão

Os norte-americanos, por exemplo, foram retirados da ilha na quinta-feira da semana passada. Militares holandeses e franceses estão nas ruas da ilha para evitar saques e outros crimes.

Número de vítimas do Furacão Matthew no Caribe pode passar de 100