Parte dos brasileiros no Caribe não consegue resgate da FAB

Fernando Garcel

Com informações de Narley Resende

Um avião da Força Aérea Brasileira (FAB), enviado para resgatar brasileiros afetados pelos furacões Irma e José, no Caribe, deve pousar apenas em Saint Marteen, a 250 quilômetros do arquipélago de Guadalupe. O governo brasileiro também identificou que há mais 22 brasileiros na Ilha de Tortola e 11 em Turcas e Caicos, que são territórios britânicos. No entanto, o aeroporto de Tortola não tem condições de aterrissagem após a passagem do Irma. Por isso, a FAB não vai resgatar esses grupos.

Em Saint Marteen, há apenas um grupo de 13 brasileiros. Outros 20 conseguiram integrar programas de resgate organizados por empresas aéreas e de turismo e já foram retirados da ilha. Em nota, o Itamaraty informou que o avião que fará o resgate decolou de Nova Iorque à uma hora da tarde, no horário local. A previsão é que só pare em St. Martin.

Sete dias após furacão, avião da FAB pousa em ilha para resgatar brasileiros
Brasileiros ficam sem comida e sem resgate no Caribe

Entre os brasileiros que ainda estariam aguardando o resgate estão Felipe Lirio; Helton Laufer; Jeferson Teixeira; Karen Laufer; Kristie Costa; Logan Costa; Luciana Lima; Mário César Lima Góes; Neusa do Carmo da Costa; Peterson Teixeira; Ricardo Passareli; Rômulo Gomes; e Tais Costa. “Confirmação de quantos serão resgatados só será possível quando o avião decolar para o Brasil, o que deve ocorrer ao final da tarde ou noite de hoje”, diz o Itamaraty em nota.


Entre os brasileiros que conseguiram sair por conta própria, os três mais recentes nessa segunda-feira (11), após conseguiram integrar uma lista de pessoas beneficiadas por uma iniciativa voluntária da companhia aérea Copa Airlines, que levou resgatados paro o continente, na Guiana Francesa e Panamá. De lá, os turistas resgatados devem seguir por conta própria para diversos destinos.

Furacões

O furacão José passou pela ilha de Saint Marteen no fim de semana. Antes disso, o furacão Irma já havia destruído boa parte da ilha. O grupo de brasileiros resgatado nesta terça-feira (12) ficou seis dias confinado em dois hotéis, sem abastecimento de água e comida. O grupo reclamou da demora da ação do governo brasileiro.

> “Tiraram só os americanos, ficamos olhando eles saírem”, diz brasileira isolada por furacão

Os norte-americanos, por exemplo, foram retirados da ilha na quinta-feira da semana passada. Militares holandeses e franceses estão nas ruas da ilha para evitar saques e outros crimes.

Número de vítimas do Furacão Matthew no Caribe pode passar de 100

 

Post anteriorPróximo post
Comentários de Facebook