Secretário diz que há ‘surto’ de Baleia Azul no Paraná

Baleia Azul

Thiago Machado, Metro Jornal Curitiba

A Sesp (Secretária Estadual de Segurança do Paraná) anunciou ontem a criação de uma força-tarefa para investigar os casos de automutilação de adolescentes entre 13 e 17 anos em Curitiba. De terça para quarta-feira, ao menos cinco jovens deram entrada em serviços de saúde na capital, sendo que um deles teve, comprovadamente, ligação com o jogo “Baleia Azul”.

Em outros quatro casos há “fortes suspeitas” e ainda há ainda outros três casos em investigação, segundo o secretário Vagner Mesquita. Ontem ele classificou a situação como um ‘surto’.

O caso comprovado é de um adolescente que convidou colegas de escola para filmar o seu suicídio, supostamente a última etapa do jogo. A informação chegou à direção da escola, que acionou o Conselho Tutelar. O jovem foi levado para atendimento médico e sedado, segundo o secretário Mesquita.

Já quatro adolescentes deram entrada na UPA do Sítio Cercado, intoxicados com medicamentos. Eles são de bairros da região Sul, entre o Boqueirão e Tatuquara. Outros três teriam se automutilado.

Também houve um caso confirmado em Pato Branco, sul do Estado.

Ontem a polícia apreendeu celulares, computadores e entrevistou familiares em Curitiba. “O objetivo é identificar os indivíduos, sejam maiores ou menores, que estejam recrutando jovens”, falou o secretário. Ele disse ainda que a suspeita é que outros jovens ou adolescentes estejam por trás das ordens.

ATENTO AOS SINAIS

  • Pais e professores devem prestar atenção ao comportamento de crianças e adolescentes. Veja alguns sintomas de que algo pode estar errado.
  • Atenção à perda de vínculo familiar: a criança não demonstra desejo de estar com a família, não tem mais interação com as pessoas da casa e nem quer mais participar nas atividades familiares e sociais
  • A criança se afasta de amigos com os quais convivia no seu cotidiano
  • Isolamento nos intervalos de aula e mudança nas relações de amizade na escola
  • Isolamento no quarto, ou seja, a criança ou adolescente passa a ficar muito tempo fechado no quarto e antes não o fazia
  • Perda de apetite sem motivo aparente
  • A criança ou adolescente passa a usar roupas que não mostrem o corpo
  • Tristeza sem motivo aparente