Jogadores do Atlético-MG visitam crianças em hospital de Curitiba

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Jogadores do Atlético-MG aproveitaram a vinda até Curitiba para visitar crianças internadas no Hospital Pequeno Príncipe, nesta segunda-feira (2). Depois de conquistar os três pontos em cima do Atlético-PR, cerca de 12 atletas do Galo alegraram os pacientes e as famílias que travam lutas diárias pela vida.

Parceiro do Pequeno Príncipe, o atacante Rafael Moura foi quem incentivou os colegas do galo a conhecerem a realidade das crianças e adolescentes em tratamento. Rafael foi apresentado ao Hospital quando ainda era jogador do Internacional. Mantendo relacionamento constante, o atleta fez a sua segunda visita à instituição. “Desde que vieram até mim falar sobre o Pequeno Príncipe, eu sou doador. Faço questão de falar sobre o hospital para todos que posso. Eu confio no trabalho feito aqui. Hoje quando uma equipe foi ao hotel falar comigo, fazer uma prestação de contas pensei na hora: vamos levar os outros jogadores lá, eles também têm que conhecer. E o resultado está aqui – eles estão mais contentes que as crianças”, contou o atacante.

Os atletas ficaram encantados e surpresos ao conhecer os serviços oferecidos pela instituição. “Eu, sinceramente, estou maravilhado. Honrado em conhecer um pouquinho dessa grandiosidade. Nós temos filhos em casa e às vezes ficamos paralisados com coisas tão pequenas e quando a gente entra aqui e vê a força dessas crianças, além de nos emocionar, nos serve de aprendizado. Mas o que mais mexeu comigo foi ver esse trabalho que o Hospital faz. Tenham a certeza que vão ganhar mais uma pessoa orando e ajudando ao Hospital também de alguma forma”, reforça o atacante do galo e ex-centroavante da seleção brasileira, Fred.

 

Emoção

Autor dos dois gols da última partida, o atacante Robinho, encantou e se emocionou. Generoso com os pedidos de fotos e autógrafos, o craque arrancou sorrisos e histórias passando pelos corredores, brinquedotecas e quartos do Hospital. Marcando um golaço pela vida, o atacante fez a diferença na tarde dos pequenos, mas também garante que eles fizeram a diferença em toda a sua vida. “É um momento rápido, mas que marca. Não tem como não se emocionar. É um carinho diferente, que preenche e a gente sabe que como jogador de futebol a gente tem uma influência muito grande. Temos que usar isso para ajudar e compartilhar”, completa, Robinho.

O diretor corporativo do Complexo Pequeno Príncipe, José Álvaro da Silva Carneiro, que acompanhou toda a visita contando as principais conquistas e anseios do Hospital, relembrou que, a partir do Programa Gols Pela Vida o Pequeno Príncipe tem a sua história entrelaçada a de diversos esportes. “Nós somos muito próximos à família do futebol. Temos o Pelé como grande exemplo, mas vai além. É a garra da conquista de cada criança e vocês puderam sentir isso hoje. Estamos muito felizes com essa visita”, finalizou.

Internada há uma semana e meia, Thaiana Mestrelli, de 11 anos, conquistou os atletas com sorrisos e palavras de otimismo e esperança. Depois de passar por uma cirurgia na coluna, considerada de alta complexidade, que durou cerca de 10 horas, a menina, que reconheceu de longe o Robinho e colegas, até se sentou a cama para garantir uma foto. “Minha dor até passou, agora vou fazer invejinha para os meus amigos mandando a foto para todo mundo. É muito legal poder conhecê-los”, garantiu Thaiana.