Voluntários promovem “dia da beleza e saúde” para pessoas em situação de rua

beleza e saúde
Foto: Ricardo Marajó/FAS

Um grupo de 15 profissionais da Igreja Adventista de Curitiba ofereceu um dia de saúde e beleza para pessoas em situação de rua, atendidas por instituições da capital, na manhã de domingo (18).

Quem compareceu pode cortar o cabelo, fazer barba, unhas e sobrancelhas, aferir a pressão e o nível de glicemia. Houve ainda aconselhamento nas áreas da saúde, alimentação e psicologia.

“Somos uma equipe de voluntários que quer ajudar o próximo. Estamos saindo dos bancos da igreja para fazer algo para a cidade e a população, independente de partidos e posição política”, disse Rodrigo Hahn, um dos organizadores da ação.

Além do momento de cuidados com a beleza e saúde, o grupo pretende ampliar o atendimento às pessoas em situação de rua. A partir de agosto, passará a oferecer cursos profissionalizanrtes, como de pizzaiolo e auxiliar de cozinha, em parceria com um centro universitário.

Pessoas atendidas

Laudemir Nunes, 59 anos, que é atendido na UAI Plínio Tourinho, aproveitou as atividades oferecidas. Cortou o cabelo, fez a barba e os testes de saúde. “Um dia como esse é uma felicidade. Quando vêm pessoas aqui, a gente se sente orgulhoso, podemos conversar e fazer amigos”, resumiu. Nunes contou que, na próxima semana, iniciará tratamento no Centro de Atenção Psicossocial (CAPs) para tratar de dependência química e que já sonha com uma vida diferente. “Quero ver se até o fim do ano eu tenha uma vida nova. Poderei levantar a cabeça e seguir em frente”, disse.

Vaidosa, Z.F., 41 anos, fez as unhas e a sobrancelha, além de medir a pressão e fazer o teste de glicemia. “A droga faz a gente perder a vaidade. Hoje quero ficar bonita para passear à tarde”, disse. Ao lado do marido, ela está há quatro meses na cidade. Dormiu nas ruas e hoje é atendida pela Fundação de Ação Social (FAS), responsável pela política da assistência social no município. Tem lugar para se alimentar, dormir e fazer higiene, além de receber atendimento técnico. Ela e o marido também iniciarão, dia 28, tratamento para a dependência e fazem planos de arrumar emprego e refazer a vida.

Geólogo por formação, aposentado por uma mineradora multinacional brasileira e hoje consultor, Celso Henning passou a manhã cortando o cabelo e fazendo a barba de quem pediu. Paranaense, morou em mais de 70 países, e há dois meses retornou para Curitiba. “É muito pouco cuidar apenas de nós mesmos. Deus nos deu inteligência e hoje quero me dedicar ao próximo”, contou.

Ex-proprietária de um salão de beleza, Clarice de Jesus também participou da ação deste domingo, além de já integrar o grupo de voluntários que está trabalhando na Casa da Acolhida Rebouças, onde ajuda no atendimento das pessoas em situação de rua que chegam para passar a noite. Segundo ela, o trabalho voluntário a faz se sentir bem.