Ônibus do transporte público é adaptado para servir refeições à moradores de rua

Foto: Divulgação / Prefeitura de Curitiba
Foto: Divulgação / Prefeitura de Curitiba
Da BandNews FM Curitiba

Moradores de rua de Curitiba agora podem realizar refeições protegidos do frio, da chuva e do vento forte. A capital ganhou, no fim do mês passado, o “Expresso Solidariedade”: um ônibus do transporte coletivo que foi adaptado para servir refeições. Os bancos foram todos retirados do veículo.

Eles deram lugar a mesas compartilhadas. É como se fossem balcões que ficam de frente para as janelas dos ônibus. O “Expresso Solidariedade” auxilia o trabalho de voluntários que já atendem moradores de rua.

Segundo a diretora de Atenção à População em Situação de Rua da prefeitura, Maria Alice Erthal, a iniciativa faz com que as pessoas se sintam acolhidas e mais confortáveis para realizar refeições.

“O objetivo principal é organizar a distribuição de refeições que existem nas praças. Principalmente na Praça Tiradentes a gente percebeu muitos voluntários fazendo a distribuição e sentimos a necessidade organizar. Porque tem outros pontos na cidade que as pessoas não estão sendo servidas. Então essa foi uma forma que a gente encontrou de organizar e servir melhor as pessoas. É um ônibus adaptado para alimentação, com mesas e bancos, para que as pessoas possam se alimentar de forma digna e acolhedora”, explica.

O “Expresso Solidariedade” está nas ruas todos os dias. O principal ponto de parada é a praça Tiradentes. Para a prefeitura, um resultado bastante positivo tem sido a facilidade em convencer moradores de rua a buscar atendimento especializado.

“O principal é que dentro do ônibus tem uma assistente social e educadores fazendo os encaminhamentos dessas pessoas para os abrigos. Como essas refeições são entregues a noite, a gente já aproveita, em função do frio do inverno, para oferecer nossas casas de acolhida e também encaminhamentos necessários para saúde, para documentação e tem sido muito bom, tá tendo uma boa receptividade “, conta.

A Fundação de Ação Social (FAS) estuda novos pontos da cidade que também podem receber o “Expresso Solidariedade. O objetivo é atender vários bairros, de acordo com a necessidade apresentada pela população.