Projeto Esperança oferece atividades e remição de pena a detentos

Foto: Divulgação Polícia Civil
Foto: Divulgação Polícia Civil
Da AEN

Cerca de 60 presos da Delegacia de São Miguel do Iguaçu, no oeste do Estado, já foram beneficiados com remição de pena a partir da iniciativa de um delegado de Polícia Civil. Denominado “Esperança”, o projeto oferece trabalhos e atividades aos detentos com bom comportamento e tem por finalidade a ressocialização dos presos provisórios e um direcionamento ao mercado de trabalho.

Uma portaria da Vara Criminal de São Miguel do Iguaçu possibilita a execução do projeto. Ele foi inaugurado em novembro de 2015 e atualmente atende um quinto dos presos que estão na delegacia da cidade. A cada três dias trabalhados, os detentos ganham um de remição.

Idealizado pelo delegado Francisco Sampaio, o projeto contempla presos com bom comportamento, que são pré-selecionados a partir de uma análise das fichas criminais. “É uma forma de ajudar essas pessoas que, por falta de oportunidade, podem deixar de mudar e continuar no mundo do crime”, afirma.

 

Atividades

Trabalhos de confecção de fraldas, reparo em cadeiras de rodas e cuidados de uma horta de verduras e legumes próxima à delegacia fazem parte do rol de atividades desempenhadas pelos detentos, de segunda a sexta-feira, das 9h às 12h e das 14h até as 17h. O espaço destinado à horta foi doado por um morador próximo à delegacia que permitiu que os detentos fizessem a limpeza do terreno e utilizassem a área.

Foto: Divulgação Polícia Civil

Foto: Divulgação Polícia Civil

Segundo o delegado, o projeto possui professores voluntariados e recebe doações para a realização das atividades. A prefeitura é responsável por repassar a matéria-prima para confecção das fraldas. “Três dos detentos que receberam o treinamento de confecção conseguiram trabalhos na área”, acrescentou Sampaio.

Doze máquinas de costura – fruto de outra parceria – também estão à disposição dos detentos para trabalhos com camisaria. Eles podem participar de cursos de costura industrial, de eletricista residencial, além de poder receber noções de música.

Toda produção dos presos é direcionada, por meio do Programa do Voluntariado Paranaense (Provopar), a entidades carentes da região, como a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) e o asilo local.

No início deste mês, o Projeto Esperança recebeu uma Moção de Aplausos da Câmara Municipal de Foz do Iguaçu.