Em discurso, Lula diz que prefere morrer a entrar para a história como mentiroso

Foto Paraná Portal
Foto Paraná Portal

Após prestar depoimento por pouco mais de duas horas ao juiz federal Sérgio Moro, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou, em discurso para militantes e apoiadores na Praça Generoso Marques, no centro de Curitiba, que prefere morrer do que entrar para a história como mentiroso. O ex-presidente disse estar disposto a travar longas batalhas jurídicas para sustentar sua inocência e afirmou que virá a Curitiba quantas vezes quiserem para confrontar o juiz federal Sérgio Moro.

Ao afirmar que conta com o apoio popular para enfrentar a série de denúncias que é alvo, Lula afirmou: “Neste momento que todo mundo denuncia todo mundo, eu desafio eles a terem coragem de ir para a rua como eu tenho e abraçar cada homem, cada mulher, cada criança. Eu tenho comigo a verdade. Eu prefiro a morte do que passar para a história como mentiroso ao povo brasileiro”.

O ex-presidente disse que, ao final de todos os processos, exigirá pedido de desculpas. “Não se preocupem com os depoimentos que eu tenho que prestar. Virei a Curitiba prestar quantos depoimentos forem necessários porque a verdade vai vencer a mentira. Não sou melhor do que ninguém, não estou acima da lei. Quero respeitar a Justiça brasileira. A única coisa que eu peço é que quem está me acusando tenha a dignidade de, em algum momento, de não provarem R$ 1 roubado na minha conta, que vá à mesma televisão em que me acusa pedir desculpas”, disse Lula. “Tenho consciência do porque dos ataques, da tentativa de me condenar, e, ao invés de ficar nervoso, fico orgulhoso, porque depois de mais de dois anos investigando minha vida, gravando minha família, invadindo minha casa, até agora não encontraram uma única verdade nas acusações que fazem contra mim”, acrescentou.

O ex-presidente também deixou claro que não esmoreceu na sua intenção de disputar as eleições do ano que vem, mesmo com o risco de ficar inelegível. “Eu não sei quantos processos eu tenho. Curitiba é perto. Eu não sei se eles vão cansar. Eu não vou cansar. Se eles estão com medo que eu posso voltar a me candidatar, é bom eles terem medo mesmo, porque eu vou me candidatar. Se querem me cassar, querem me prender, querem me condenar achando que isso vai acabar com a luta, nós temos o povo do nosso lado. Um Lula incomoda muita gente, mas milhões de Lulas incomodam muito mais”