Moro ouve últimos depoimentos de investigados da Operação Asfixia nesta semana

Sérgio Moro
Redação com BandNews FM Curitiba

O juiz federal Sérgio Moro encerra os interrogatórios dos réus da 40ª fase da Operação Lava Jato, batizada de Asfixia, nesta semana. O magistrado vai ouvir os ex-gerentes da Petrobras, Maurício Guedes e Márcio de Almeida Ferreira na terça-feira (10). Os empresários Marivaldo Escalfoni, da Akyzo, e Paulo Roberto Fernandes, executivo da Liderroll, serão ouvidos na sexta-feira (13).

Nesta ação penal, são investigados os crimes de corrupção, fraude em licitações, evasão de divisas, lavagem de dinheiro de empresas, e seus sócios, que atuavam em um esquema de repasses ilegais de empreiteiras para funcionários da Petrobras em decorrência da obtenção de contratos a empresa. O nome da fase é uma referência à tentativa de cessar as práticas criminosas em áreas da Petrobras dedicadas à produção, distribuição e comercialização de gás combustível.

Após ouvir os réus do processo, Moro vai abrir prazo para que o Ministério Público Federal (MPF) e as defesas apresentem as considerações finais ao processo. Depois, o magistrado vai definir as sentenças.

Moro manda soltar empresários presos na 40ª fase
Presos na 40ª fase da Lava Jato fazem exame no IML de Curitiba

Denúncia

De acordo com a denúncia do MPF, eles teriam participado de um esquema de pagamento de propina para a área de Gás e Energia da estatal, que chegou a um total de R$ 150 milhões. Os pagamentos ocorreram entre os anos de 2003 a 2016, ou seja, mesmo dois anos após o início da operação lava jato.

As empresas – Akyzo e Liderroll – firmaram contratos falsos com as fornecedoras tradicionais da Petrobras e, dessa forma, intermediavam o pagamento de propina a funcionários da estatal. O esquema criminoso também corrompia agentes políticos, que sustentavam a permanência dos cargos na Petrobras. As provas foram obtidas nos depoimentos de delação de outros ex-dirigentes e com a quebra dos sigilos bancário, fiscal e telemático dos envolvidos.