Defesa de Okamotto é contra revisão de sentença na Lava Jato

Foto: Iberê Thenório/Instituto Lula.
Foto: Iberê Thenório/Instituto Lula.

O presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto, absolvido pelo juiz federal Sérgio Moro, responsável pelos processos da Operação Lava Jato na primeira instância, no mesmo processo que condenou o ex-presidente Lula, protocolou uma petição em que é contra ao recurso do Ministério Público Federal (MPF) que pede sua condenação.

Moro absolve Paulo Okamotto da acusação de lavagem de dinheiro
Mesmo absolvido, Okamotto apela de sentença

“Sustenta-se que o recurso da acusação não tem razão de existir. Isso porque, em que pesem os argumentos lançados pelos combativos promotores, que buscam ferrenhamente fazer valer a íntegra de sua exordial acusatória, a realidade é que a instrução processual demonstrou a impertinência das acusações que recaiam sobre o ora Apelado [Okamotto]”, destaca a defesa.

Os advogados também são contrários a forma com que Moro absolveu Okamotto. Segundo a defesa, o presidente do Instituto Lula está “inconformado com o fundamento legal lançado na sentença para absolvê-lo ‘por falta de prova suficiente da materialidade'”.

“Mais a mais, as razões para a manutenção da absolvição do Apelado — bem como a necessidade de se alterar a fundamentação para tanto — serão tratadas nas razões do recurso de apelação defensivo, a serem apresentadas perante o E. Tribunal Regional Federal da 4′ Região”, diz os advogados.

Leia também:

MPF pede pena maior para Lula e condenação de demais réus
“Não importa o quão alto você esteja, a lei ainda está acima de você”, diz Moro em sentença de Lula