‘Estou sendo julgado por um juiz imparcial?’, questiona Lula

Sérgio Moro
Roger Pereira

Mais uma vez, as considerações finais do depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em depoimento prestado ao juiz Sérgio Moro, foram marcados por discussões e trocas de farpas entre o réu, o juiz, a defesa e o Ministério Público Federal. Ao passar a palavra para o ex-presidente, Moro já alertou que interromperia caso Lula desvirtuasse do tema da ação penal e usasse a palavra para discurso político. Bem mais sucinto, Lula usou apenas cinco minutos para suas considerações e terminou questionando a imparcialidade de Sérgio Moro.

> Veja a íntegra do novo depoimento de Lula na Lava Jato
‘Palocci falou tudo o que o PowerPoint queria que ele falasse’, diz Lula

Interrompido diversas vezes por Moro por conta desta restrição, Lula disse que tem sido difamado e achincalhado sem nenhum respeito. Citou a nova ação que responde, na Operação Zelotes, “por uma medida provisória aprovada por unanimidade pelo Congresso” e disse que o Ministério Público tem como único objetivo incriminá-lo.

O ex-presidente afirmou ter informação que das 28 perguntas feitas a um depoente, 26 eram sobre ele e, instado por Moro a nomear tal depoente respondeu: “não vou citar nomes, porque não sou delator”.

No final, ele confrontou u magistrado. “Vou chegar em casa, almoçar com 8 netos e uma bisneta. Posso olhar na cara dos meus filhos, dizer que eu vim prestar depoimento a um juiz imparcial?”, questionou. “Não cabe ao senhor, fazer esse tipo de pergunta para mim, mas de todo modo, sim”, respondeu Moro. “ Porque não foi isso que aconteceu na outra ação”, replicou Lula. “Eu não vou discutir a outra ação aqui. A minha convicção é de que o senhor é culpado, mas isso o senhor está discutindo no Tribunal”, finalizou u magistrado, encerrando a audiência.