Procurador da Lava Jato critica Fundo de Financiamento da Democracia

Foto: Reprodução Facebook

O procurador da República Carlos Fernando dos Santos Lima, um dos coordenadores da força-tarefa da Lava Jato no Ministério Público Federal do Paraná, voltou a polemizar questões políticas nas redes sociais. As manifestações têm sido frequentes desde que os empresários Joesley e Wesley Batista, donos da JBS, relataram esquemas de pagamento de propina para 1.829 candidatos de 28 partidos no Brasil.

Em texto publicado nesta quinta-feira (10) a crítica foi ao Fundo Especial de Financiamento da Democracia, projeto relatado pelo deputado Vicente Cândido (PT-SP) que viabiliza a doação para partidos políticos.  O valor do fundo para 2018 será, de acordo com o relatório,  de 1,9 bilhão para as campanhas eleitorais de senador e de listas pré-definidas de deputados federais e estaduais e para as campanhas eleitorais de primeiro turno de governadores e presidentes da República.

“Isso significa meter a mão no bolso do contribuinte para colocar os recursos nos bolsos furados dos partidos. Além disso, os recursos serão distribuídos conforme os caciques desejarem. Isto é, daqui para frente ninguém crescerá dentro de um partido se não disser amém para os chefões.” afirmou o procurador no Facebook.

O projeto precisa ser aprovado até setembro para valer para as eleições do próximo ano.

procurador