João Santana e Mônica Moura prestam depoimento em processo que envolve Palocci

liberação dinheiro
Foto: Paraná Portal

O ex-marqueteiro do PT João Santana e a publicitária Mônica Moura serão interrogados pelo juiz federal Sérgio Moro, às 16 horas desta terça-feira (18), na ação penal que investiga se o ex-ministro Antonio Palocci, dos governos Lula e Dilma, recebeu propina para beneficiar a Odebrecht.

O processo é referente a 35º fase da Operação Lava Jato, batizada de Omertà e os depoimentos serão presenciais, na sede da Justiça Federal, em Curitiba.

Santana e Mônica tiveram o acordo de delação premiada homologado pelo Supremo Tribunal Federal no início deste mês. Eles foram presos na 23ª fase da operação e deixaram a cadeia em agosto do ano passado. Eles cumprem prisão domiciliar, condenados pelo crime de lavagem de dinheiro.

Em depoimento a Moro, o delator e empresário Marcelo Odebrecht confirmou que Palocci é o “Italiano” que aparece nas planilhas de pagamentos do Setor de Operações Estruturadas da Odebrecht, considerado pela Lava Jato como o setor de pagamento de propinas da empresa.

Denúncia

Segundo a denúncia do Ministério Público Federal (MPF), o ex-ministro Palocci estabeleceu uma ligação com altos executivos da Odebrecht com o objetivo de atender aos interesses do grupo diante do governo federal. Isso aconteceu entre 2006 e 2015. Nesse esquema, a interferência de Palocci teria se dado mediante o pagamento de R$ 128 milhões em propinas. Os recursos eram destinados principalmente ao Partido dos Trabalhadores (PT).

Ainda de acordo com o MPF, o ex-ministro também teria participado de uma conversa sobre a compra de um terreno pra a sede do Instituto Lula, feita pela Odebrecht.

A ação penal decorrente da Operação Omertà tem 15 réus, entre eles Palocci e o herdeiro do Grupo Odebrecht, Marcelo Odebrecht.

Palocci está preso desde setembro de 2016, na carceragem da Polícia Federal, em Curitiba e responde por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Próximos depoimentos

O ex-ministro Antônio Palocci e o ex-assessor dele Branislav Kontic devem ser ouvidos por Moro na quarta-feira (18).