Manifestantes anti-PT passam a fazer acampamento itinerante na JF

Reprodução / Acampamento Lava Jato

BandNewsCuritiba

Manifestantes anti-PT voltaram a montar acampamento em frente ao prédio da Justiça Federal, em Curitiba. De acordo com os integrantes do ato, desta vez o acampamento é itinerante, e foi desmontado junto com o fim do protesto.

Na ocasião mais recente, o uso irregular do espaço foi notificado pela Secretaria Municipal de Urbanismo minutos depois da condenação do ex-presidente Lula em segunda instância, no dia 24 de janeiro. O grupo, que mantinha uma estrutura de madeira e concreto permanente na praça, acompanhava em uma TV a transmissão ao vivo do julgamento.

A energia foi puxada clandestinamente de um poste da Copel na praça. Ontem (quarta), os manifestantes fizeram um ato para acompanhar depoimentos em audiências sobre o processo do Sítio de Atibaia, que tem como réu o ex-presidente Lula.

Segundo o grupo chamado “Acampamento Lava Jato”, a estrutura física que havia sido construída na praça foi doada para o Instituição Movimento Recriança. O material foi utilizado para construção de uma casa na árvore.

A prefeitura informou por meio de nota que os manifestantes que estavam acampados irregularmente na Praça Pedro Alexandre Broto, no Ahú, foram notificados no dia 24 de janeiro para que desmontassem o acampamento e suspendessem a comercialização de produtos.

Nesta terça (6) fiscais da Secretaria Municipal do Urbanismo foram ao local para apurar a situação e identificar se tratava-se de um novo acampamento ou apenas de uma mobilização. Se forem verificadas estruturas montadas, pode haver nova ação judicial para retirada.