Medidas contra crise no sistema penitenciário podem colocar presos da Lava Jato em liberdade, alerta procurador

deltan dallagnol

As medidas anunciadas pelo governo federal para contornar a crise no sistema penitenciário preocupam a força-tarefa da Lava Jato.

No Facebook, o procurador Deltan Dallagnol alertou que a medida de colocar em liberdade os presos provisórios que não tenham cometido crimes com violência ou grave ameaça pode resultar na liberdade de todos os presos da operação.

“Medida anunciada por Ministro da Justiça pode colocar os presos da Lava Jato em liberdade. Todos!”, afirmou, e embasou o alerta compartilhando um texto de autoria do promotor do Ministério Público do Paraná (MP-PR) Rodrigo Chemim sobre o tema.

O promotor alerta para o fato de que “a medida anunciada pelo Ministro da Justiça venha também beneficiar justamente quem são os principais responsáveis pelos gravíssimos problemas dos presídios brasileiros: os políticos e empresários corruptos brasileiros”.

E ironiza: ” O Ministro da Justiça deve ter gerado alegria no cárcere da Polícia Federal. Palocci, que teve ontem negada a liminar em Habeas Corpus no STJ, imagino, deve estar exultante. Cunha também. E tantos outros vereadores, Deputados, prefeitos. Natural: no entendimento do Ministro da Justiça os presos provisórios da Lava Jato e outros que cometeram crimes de corrupção, lavagem de dinheiro, desvio de verbas públicas e similares (crimes praticados sem “violência ou grave ameaça”) não representam perigo algum para o país”, desabafou

Segundo o Ministério da Justiça, o Plano Nacional de Segurança “não prevê nenhuma medida que possa beneficiar presos provisórios pela prática de crimes de corrupção contra a administração pública, inclusive na Operação Lava Jato”.

Segundo a nota, crimes de corrupção e casos de porte de arma ficam fora da sugestão para a realização de mutirões de audiências de custódia, já que presos acusados de crimes como concussão, peculato, corrupção passiva e ativa não terão a liberdade concedida.