Mobilizações por Lula em dia de interrogatório devem se repetir em Curitiba

depoimento de lula lula sergio moro depoimento

Movimentos sociais organizados na Frente Brasil Popular (FBP), Fórum de Lutas 29 de Abril e Frente Resistência Democrática (FRD) convocam manifestantes para participar de atos em solidariedade ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no dia 13 de setembro, quando ele será interrogado presencialmente na Justiça Federal, em Curitiba.

Lula será ouvido em segundo processo contra ele decorrente da Operação Lava Jato. Na ação, o petista é acusado de ter sido beneficiado com propinas da Odebrecht para aquisição de um imóvel supostamente destinado à construção de uma sede do Instituto Lula.

Com as mobilizações marcadas, a “2ª Jornada de Lutas pela Democracia” deve repetir o ocorrido em maio, quando diversos grupos se manifestaram e a Secretaria de Segurança do Paraná mobilizou efetivo com mais de mil policiais militares para o evento. Na ocasião, Lula prestou seu primeiro depoimento presencial ao juiz Sérgio Moro, na ação em que foi condenado a 9 anos e meio de prisão por recebimento de vantagens da OAS na aquisição de uma triplex no Guarujá, litoral paulista.

De acordo com a Frente Brasil Popular, um grande ato deve finalizar as mobilizações do próximo dia 13. Chamado de ato em solidariedade a Lula, a manifestação central deve ocorrer a partir das 18h, com uma concentração no Paço da Liberdade (Praça Generoso Marques), no Centro de Curitiba.

Devido aos gastos gerados no depoimento anterior, o juiz Sérgio Moro sugeriu que desta vez Lula deveria prestar depoimento por videoconferência, para evitar mobilização de grande efetivo policial. A defesa do ex-presidente, porém, já havia definido anteriormente o depoimento presencial.

O gasto divulgado pela Secretaria de Estado da Segurança Pública na época foi de R$ 140 mil. Para o segundo depoimento do petista ainda não há informações sobre o esquema de segurança.

A Secretaria de Segurança do Paraná apenas informou que já começou as tratativas com a Justiça Federal e Polícia Federal para iniciar um planejamento operacional para garantir total segurança ao ato jurídico. O cadastramento de imprensa já começou. No depoimento de maio, moradores do entorno da JF tiveram que se cadastrar para poder transpor os bloqueios.

Protestos contra Lula

Do outro lado, grupos anti-PT preparam uma recepção crítica. Integrantes dos grupos “Lava-Togas”, “Brasil Estou Aqui” e “Vem Pra Rua” mandaram confeccionar 32 outdoors que serão expostos pela cidade para lançar a campanha “A lei é Para Todos”. O tema, que flerta com as letras P e T, de Partido dos Trabalhadores, também é referência ao filme pré-lançado, sobre a Operação Lava Jato, chamado “Polícia Federal – A Lei é para Todos”.

De acordo com os grupos, os outdoors foram inteiramente custeadas por uma vaquinha feita entre profissionais liberais, professores, empresários, estudantes e aposentados. A campanha já está sendo veiculada em alguns pontos de Curitiba e desde domingo (3) todos os outdoors estão instalados.

lulacuritiba-e1494007481286