Moro determina prisão de irmão de José Diceu

(Foto: Rodolfo Buhrer / La Imagem / Fotoarena)
(Foto: Rodolfo Buhrer / La Imagem / Fotoarena)

O juiz federal Sérgio Moro, responsável pelas ações em primeira instância da Operação Lava Jato, determinou a prisão do irmão do ex-ministro José Dirceu, Luiz Eduardo de Oliveira e Silva.

A decisão foi tomada na tarde de quinta-feira (8) e o mandado de prisão foi cumprido na manhã desta sexta-feira (9).

Luiz Eduardo foi condenado pelos crimes de lavagem de dinheiro e pertinência a organização criminosa, com pena de dez anos, seis meses e 20 dias de prisão, inicialmente em regime fechado, e 210 dias-multa.

No mesmo processo, foram condenados o ex-assessor de Dirceu, Roberto Marques e o corretor de imóveis Júlio César dos Santos.

“Assim e obedecendo à Corte de Apelação, expeça a Secretaria os mandados de prisão para execução provisória da condenação de Luiz Eduardo de Oliveira e Silva e Júlio César dos Santos”, determinou o juiz.

Eles, com exceção de Roberto Marques, devem ser transferidos para cumprir pena em Curitiba. “Autorizo desde logo a transferência para o sistema prisional em Curitiba, Complexo Médico Penal, ala reservada aos presos da Operação Lavajato”, despachou Moro.

TRF4

As penas foram determinadas por Moro em maio de 2016, com oito anos de nove meses de prisão e aumentadas pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4).

A prisão foi determinada devido à condenação em segunda instância.

Penas

  • Júlio César dos Santos: foi condenado por lavagem de dinheiro e pertinência à organização criminosa, com pena de dez anos, oito meses e 20 dias, em regime inicialmente fechado e 230 dias-multa.
  • Roberto Marques: foi condenado pelo crime de pertinência à organização criminosa, a quatro anos e um mês de reclusão, inicialmente em regime semi-aberto e 70 dias multa.