Moro nega pedido de reconsideração da fiança do ex-deputado Cândido Vaccarezza

Foto: Laycer Tomaz/ Câmara dos Deputados

Por BandNews FM Curitiba

O juiz Sérgio Moro negou um pedido feito pela defesa do ex-deputado Cândido Vaccarezza de reconsideração do valor da fiança estipulada pelo magistrado. Em despacho nesta terça-feira (10), Moro determinou que a fiança deve ser paga no prazo fixado, sob pena do ex-deputado perder o benefício de poder ficar em casa para tratamento médico.

Depois de liberar o ex-parlamentar da prisão, no mês de agosto, para um tratamento de câncer na próstata, o juiz Sérgio Moro estipulou o pagamento de um milhão e meio de reais como fiança. No entanto, segundo a defesa de Vaccarezza, o ex-deputado estaria passando por dificuldades financeiras, porque recebe apenas o salário como analista de saúde, da Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo. O salário líquido nesta função é de 5.200 reais.

Os advogados pediram que a fiança fosse substituída por um imóvel do ex-deputado que alcança o valor estabelecido pela justiça. A solicitação também foi negada pelo juiz Sérgio Moro. Durante a deflagração da 44ª fase da Lava Jato, a polícia federal apreendeu 122 mil reais em espécie na casa de Vaccarezza. Segundo a defesa, o dinheiro é lícito e seria usado para o tratamento de saúde.

Em decisão anterior, Moro já havia negado o pedido da defesa do ex-deputado de devolução do dinheiro, com o argumento de que ainda é preciso provar a origem do valor. O político foi líder na Câmara dos governos dos ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff. Ele foi alvo da operação Abate, deflagrada em agosto deste ano e é acusado de receber mais de 400 mil dólares em propinas por contratos firmados com a Petrobras.