Moro suspende redução de pena de Léo Pinheiro, Duque e Agenor

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O juiz federal Sérgio Moro, responsável pela Operação Lava Jato em primeira instância, suspendeu a redução de pena do ex-diretor da OAS Agenor Medeiros, do ex-diretor da Petrobras, Renato Duque, e do empreiteiro Léo Pinheiro. A decisão de conceder os benefícios será analisada pelos desembargadores do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4).

O Ministério Público Federal (MPF) não concordou com a decisão de Moro de conceder a redução e recorreu da sentença. Moro havia determinado a diminuição das penas de Medeiros para dois anos, de Pinheiro para dois anos e meio e de Duque para cinco anos, ambos em regime fechado.

No despacho, Moro colocou os benefícios em suspenso até que seja apreciado em segunda instância.

No âmbito da Lava Jato, Agenor foi condenado a 26 anos e sete meses de prisão, Pinheiro a 34 anos e Duque a 62 anos. O abono da pena é dado porque os réus confessaram o crime.

De acordo com os procuradores, o acordo deve ficar a cargo do MPF, não do juiz.

 

Motivos das condenações

Renato Duque foi condenado no processo que envolve pagamentos feitos pela Odebrecht ao marqueteiro João Santana, intermediados pelo ex-ministro Antonio Palocci.

Já Agenor e Pinheiro foram sentenciados no caso do tríplex.