MPF pede condenação de Claudia Cruz e pena em regime fechado

Foto: Reprodução / Facebook

O Ministério Público Federal (MPF) pediu ao juiz Sérgio Moro que condene a jornalista Claudia Cruz pelos crimes de lavagem de dinheiro e evasão de divisas, no processo em que responde por lavagem de dinheiro, no âmbito da Operação Lava Jato. Ela é esposa do ex-presidente da Câmara e deputado cassado Eduardo Cunha, já condenado por Moro em processo correlato.

Preso há seis meses, Cunha trabalha com reparos e faz resenhas

“Ao pagar substâncias despesas internacionais próprias e de sua família com recursos ocultos que sabia que eram provenientes de crimes, a acusada CLAUDIA CORDEIRO CRUZ deve ser condenada pela prática do crime de lavagem de dinheiro”, alegam os procuradores.

Respondem no mesmo processo o empresário Idalécio Oliveira, o lobista João Henriques e o diretor da área internacional da Petrobras, Jorge Zelada. O MPF pediu que todos cumpram pena inicial em regime fechado. “Considerando o montante das reprimendas fixadas e a gravidade dos crimes em concreto, o regime inicial de cumprimento da sanção privativa de liberdade aplicada aos acusados deverá ser inicialmente fechado”, diz o documento.

Os procuradores reforçam o pedido de condenação dos outros envolvidos. Oliveira é acusado de corrupção ativa e lavagem, Henriques por lavagem e evasão de divisas e Zelada por corrupção passiva. O MPF pediu a prisão preventiva de Henriques e que Claudia Crus pague US$ 1.031.650 como reparação dos danos morais e materiais.

As alegações finais do processo foi protocolado no sistema eletrônico da Justiça Federal do Paraná no final da tarde de terça-feira (18).

A defesa de Claudia Cruz foi procurada, mas ainda não se manifestou sobre o posicionamento do MPF.

Denúncia

Conforme as investigações, Claudia teria sido beneficiada com parte da propina recebida pelo marido por viabilizar a compra, pela Petrobras, de um campo de petróleo em Benin, na África. Seria responsável ainda pela lavagem de ativos, adquirindo bens de luxo no exterior e mantendo valores não declarados superiores a 100 mil dólares.



Compartilhe:

Comentários