No aniversário, filha de Eduardo Cunha é barrada em visita ao pai na penitenciária

Foto: Colaboração
Foto: Colaboração

A filha do ex-presidente da Câmara e deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB), Danielle Dytz da Cunha Doctorovich, foi barrada nesta sexta-feira (19) ao visitar o Complexo Médico-Penal (CMP), em Pinhais, Região Metropolitana de Curitiba, onde o pai cumpre pena pelos crimes investigados pela Operação Lava Jato.

Hoje, Danielle comemora aniversário e foi barrada por três vezes pelos agentes penitenciários que protestam no local. Ela chegou a chorar ao ser impedida de ver o pai.

Presos da Lava Jato e Carne Fraca no PR ficam sem visitas e banho de sol

A filha de Cunha visita o pai regularmente, mas não pode acessar o prédio devido a um protesto de agentes penitenciários. Eles bloquearam a entrada de parentes de detentos das galerias 5 e 6, onde estão os presos da Lava Jato e da Operação Carne Fraca. Desde o início da manhã a categoria tenta chamar atenção para a categoria que é contrária à PEC 287, da reforma da Previdência.

Entre os detentos da Galeria 6, estão os ex-deputados Eduardo Cunha e André Vargas, o lobista João Augusto Henriques, ex-tesoureiro do PT João Vaccari, ex-senador Gim Argello, e o ex-diretor da Petrobras Jorge Zelada.

Normalmente, as visitas aos presos da 6ª Galeria do CMP são realizadas às 9 horas. A intenção dos agentes de promover o protesto foi comunicada ao Departamento Penitenciário do Paraná (Depen), que alterou o horário para às 13h. Como os manifestantes aguardam apoio de agentes de outros estados e pretendem ficar por mais tempo, a alteração de horário não foi suficiente para garantir as visitas, previstas na Lei de Execuções Penais.

> Teori mantém inquérito contra esposa e filha de Cunha nas mãos de Moro
> Cunha usou propina para custear casamento da filha

Filha de Cunha citada

O nome de Danielle Dytz da Cunha Doctorovich aparece nos inquéritos da Operação Lava Jato. De acordo com a força-tarefa, o ex-deputado usou propina para custear o casamento da filha. De acordo com os investigadores, o custo do aluguel do hotel Copacabana Palace, no Rio de Janeiro, para realização da festa foi de R$ 266 mil, mas não há registros de saques em contas bancárias que comprovem a origem dos recursos para o pagamento do serviço.

PF quebra sigilo e tem acesso a troca de e-mails de Eduardo Cunha e filha

Durante as investigações, os procuradores tiveram acesso a e-mails trocados entre Danielle e Cunha. Nos e-mails, a filha do ex-deputado diz que não tem “cacife” para comprar tudo que gostaria e, por isso, pede para que ele compre uma lista de objetos durante uma viagem.