Moro começa a ouvir réus em processo contra operadores do PMDB

Bruno Luz e Jorge Luz operadores pmdb

O juiz federal Sérgio Moro retoma nesta segunda-feira (17) os depoimentos do processo contra os operadores financeiros do PMDB, Jorge e Bruno Luz. Eles foram presos na ação penal originada pela 38ª fase da Operação Lava Jato, batizada de Blackout e deflagrada em fevereiro.

Eles estão detidos no Complexo Médico Penal de Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba.

Segundo o Ministério Público Federal (MPF), os lobistas movimentaram mais de 40 milhões de dólares em propinas a peemedebistas e agentes públicos em cinco contratos da estatal no Brasil e no exterior. Entre os beneficiários dos valores estava o deputado cassado Eduardo Cunha. A denúncia apura irregularidades em contratos da Petrobras para contratação de navios-sonda entre 2006 e 2007.

Depoimentos

Serão ouvidos na sede da Justiça Federal em Curitiba, a partir das 14 horas de hoje, os réus e empresários Milton Taufic Schahin e Fernando Schahin.

Milton é delator da Operação e já foi condenado a nove anos e 10 meses de prisão por gestão fraudulenta e corrupção ativa. Fernando foi condenado a cinco anos e quatro meses por corrupção ativa.

Agosthilde Mônaco de Carvalho, o homem de confiança de Nestor Cerveró, ex-diretor da Petrobras, também seria ouvido hoje, mas teve o depoimento remarcado devido ao falecimento do pai.

Ele será ouvido na próxima quarta-feira (19), a partir das 14h30, na mesma data em que Bruno Luz, Jorge Luz, o executivo Demarco Jorge Epifanio e o ex-gerente Luiz Carlos Moreira da Silva prestam depoimento.

Próximos passos 

Depois dos depoimentos o juiz recebe as alegações finais do MPF e das defesas e decide se condena ou absolve os réus do processo. Não há prazo para a decisão.