‘Palocci falou tudo o que o PowerPoint queria que ele falasse’, diz Lula

Fotos: Fernando Frazão/Agência Brasil e Rodolfo Buhrer/Paraná Portal
Roger Pereira e Fernando Garcel

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva negou que tenha tratado com o ex-ministro Antônio Palocci, com o pecuarista José Carlos Bumlai, com o advogado Roberto Teixeira, ou mesmo com representantes da Odebrecht sobre a aquisição de um imóvel que serviria de sede para o Instituto Lula, em depoimento ao juiz federal Sérgio Moro na tarde desta quarta-feira (13). Ele disse que a única pessoa com quem conversou sobre o assunto foi com o presidente do Instituto, Paulo Okamoto.

Veja a íntegra do novo depoimento de Lula na Lava Jato

No depoimento, Lula alegou que nada do que Palocci declarou em seu interrogatório condiz com a verdade e afirmou que o depoimento de seu ex-ministro foi ensaiado com o Ministério Público para incriminá-lo. “Fiquei vendo o Palocci falar. Ele usou uma frase de efeito, do pacto de sangue. Ele fez um pacto de sangue com os delatores, com os advogados dele e com o Ministério Público, porque disse exatamente o que o PowerPoint queria que ele dissesse”, afirmou o ex-presidente, em referência à apresentação do Ministério Público Federal, no ato da denúncia contra Lula, que o aponta como chefe de uma organização criminosa.

“A desgraça de quem conta a primeira mentira é passar o resto da vida mentindo para justificar a primeira mentira. Aquele PowerPoint feito dizendo que o PT era uma organização criminosa, que o Lula era o chefe e que o governo Lula foi feito para roubar, merece um processo contra quem escreveu aquilo, a serviço da opinião pública”, disse o ex-presidente.

Lula disse ter amizade com Palocci de mais de 30 anos, afirmou que ainda mantinha relações com seu ex-ministro até ele ser preso, e disse saber que ele é calculista a ponto de construir um depoimento mentiroso para colher os benefícios da delação premiada.

Palocci detalha esquema de R$ 300 mi da Odebrecht ao PT
Vice do PT evita falar sobre expulsão de Palocci do partido

“Eu vi atentamente o depoimento do Palocci, uma coisa quase que cinematográfica, parecia preparada por um roteirista da Globo. Você vai dizer tais coisas, prepararam lides para ele dizer. E ele é um ótimo simulador. Nada do que falou é verdade. A única coisa que ele disse de verdade é ele dizer que está fazendo aquela delação porque ele quer os benefícios da delação”, declarou Lula.

O ex-presidente ainda refutou a confissão de Palocci de que atuou com Lula para obstruir as investigações da Lava Jato. “E ele termina o depoimento dele da forma magistral que o Ministério público queria que ele terminasse: o Lula conversou comigo sobre obstrução de Justiça. Eu venho ouvindo isso, mas, se tem um cidadão no país que tirou o tapete da sala para que a podridão aparecesse, se chama Luiz Inácio Lula da Silva. Portanto, eu não admito que ninguém diga que eu obstruí a Justiça”.

Questionado por Moro se sabia se Palocci estava envolvido nas negociações para a compra do imóvel, Lula respondeu que ““se ele estava envolvido ou não, é problema dele, mas não quero que ele me envolva. Tentar jogar nas minhas costas uma coisa que só ele sabia, parecia que eu era um cadeirante e ele que empurrava minha cadeira. Ele nunca conversou comigo sobre esse terreno”.

Em nota, Adriano Bretas, advogado do Palocci, diz que a estratégia de Lula é dizer que quem o acusa mente e que somente ele diz a verdade. “Enquanto o Palocci mantinha o silêncio, ele era inteligente e virtuoso; depois que resolver falar a verdade, passou a ser tido como calculista e dissimulado. Dissimulado é ele, que nega tudo o que lhe contraria e teve a pachorra de dizer que se encontrava raramente com o Palocci a cada 8 meses. Quando lhe foi apresentada a agenda do Dr. Emilio Odebrecht esquivou-se, dizendo que o documento é falso. Essa é a lógica dele: os que o acusam mentem, os documentos são falsos, e só ele diz a verdade”, diz a nota.

Na audiência, o ex-presidente disse que o Ministério Público não é dono da verdade. “Estamos vendo o que está acontecendo com [Rodrigo] Janot, estamos vendo o que está acontecendo com Miller e a força-tarefa da Lava Jato em Brasília está tratando de forma a destruir o Ministério Público contando inverdades”, afirmou Lula. “Inventaram que o tríplex era meu, […] agora inventaram que o apartamento é meu e não é, como inventaram a história do sítio que é meu e não é. São três denúncias do Ministério Público por ilação”, se defendeu Lula. “O que me deixa pasmo é que estou sendo acusado do segundo imóvel que eu não comprei, que nunca tive as chaves, que não é meu”, concluiu.