Peru e Odebrecht assinam acordo preliminar de colaboração

Foto: Reprodução / Odebrecht

Angelo Sfair, BandNews FM Curitiba

Após onze horas de negociação, a filial da empreiteira Odebrecht no Peru e o Ministério Público daquele país assinaram um acordo preliminar de colaboração.

A construtora se compromete a entregar às autoridades informações e documentos relevantes para as investigações de corrupção.

No Peru, a empresa brasileira tem contratos que somam 12 bilhões de dólares. Como primeira reparação pelos crimes de suborno, a Odebrecht vai pagar R$ 28 milhões de reais adiantados.

Em nota, as autoridades peruanas afirmam que este é apenas um acordo preliminar e que a multa não deve ser entendida como o valor final a ser devolvido pela empreiteira.

De acordo com a Procuradoria Especializada em Crimes de Corrupção do Peru, esse adiantamento é um feito inédito.

As autoridades destacam que esse pagamento não aconteceu em outros acordos de leniência assinados pela Odebrecht.

A empreiteira já se comprometeu a colaborar no Brasil, nos Estados Unidos e na Suíça. Segundo o Ministério Público do Peru, o adiantamento foi uma exigência para iniciar as negociações.

A investigação fiscal sobre a Odebrecht neste país Sul-Americano começou em novembro do ano passado. O grupo brasileiro atua no Peru desde 1979.

De acordo com o Departamento de Justiça dos Estados Unidos, a empreiteira brasileira admite o pagamento de propinas em 12 países, de três continentes.

Para conseguir vantagens indevidas, a Odebrecht distribui 29 milhões de dólares para agentes públicos e políticos, somente entre os anos de 2005 e 2014.

Na semana passada, o Peru já havia proibido a atuação da empreiteira no país, enquanto as investigações não forem concluídas. Até lá a Odebrecht não poderá participar de nenhuma nova licitação com o poder público. Essa medida preventiva também foi tomada por Equador e Panamá.