Tribunal formado por juristas julga a Lava Jato em Curitiba

Foto: Lenise Aubrift Klenk
Foto: Lenise Aubrift Klenk

Lenise Aubrift Klenk, BandNews FM Curitiba

Um grupo de juristas participa nesta sexta-feira (11), em Curitiba, de um Tribunal Popular para julgar a Lava Jato. O júri simulado é promovido pelo Coletivo de Advogadas e Advogados pela Democracia (CAAD).

A proposta é discutir possíveis excessos e violações de direitos nos processos decorrentes da operação. O juiz de Direito Marcelo Tadeu Lemos, de Alagoas, é o presidente da sessão.

A acusação contra a Lava Jato será feita pelo ex-ministro da Justiça e sub-procurador geral República aposentado Eugênio Aragão.

A defesa ficou por conta de um dos advogados criminalistas mais famosos do Brasil, Antônio Carlos de Almeida Castro. Kakay, como é conhecido, conhece de perto os bastidores da Lava Jato.

O advogado tem como clientes diversos investigados na operação, entre eles os senadores Edison Lobão (PMDB-MA), Romero Jucá (PMDB-RR) e José Sarney (PMDB-MA) e a ex-governadora do Maranhão Roseana Sarney.

O corpo de jurados é formado por personalidades como Marcello Lavenère, ex-presidente da OAB e autor do pedido de impeachment do ex-presidente Fernando Collor de Melo; Vera Karam de Chueiri, professora de Direito Constitucional na Universidade Federal do Paraná; Beatriz Vargas, professora da Universidade de Brasília, Cláudia Maria Barbosa, professora titular de Direito Constitucional na PUC-PR; e o jornalista e escritor Fernando Morais.

O júri simulado se inspira em outras iniciativas simbólicas que discutiram grandes casos jurídicos. Um dos exemplos é o tribunal internacional simulado que julgou o massacre de trabalhadores sem-terra em Eldorado do Carajás, em 1996.

O governo Jaime Lerner também foi julgado e condenado por crimes cometidos no campo, em 2001, em um tribunal internacional simulado. O Tribunal Popular da Lava Jato, em Curitiba, será realizado no auditório do Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil (Sintracon), no bairro São Francico.

As atividades do Tribunal Popular começaram às 14h desta sexta-feira (10), que é o Dia do Advogado, e devem se encerrar apenas às 22h.

504715db-b4f6-4c3a-839e-d7334e38534d