Presos da Lava Jato não vão receber visitas extras no fim de semana de Natal

Eduardo Cunha

Por Lorena Pelanda / BandNews FM Curitiba

Os presos da Operação Lava Jato que estão detidos no Complexo Médico-Penal (CMP), em Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, não vão receber visitas neste sábado (24) e domingo (25) – véspera e dia de natal. Todas as unidades administradas pelo Departamento Penitenciário do Paraná (Depen) seguem o cronograma normal de visitação. Nesta unidade estão presos 26 envolvidos na Lava Jato, entre eles, os ex-deputados Eduardo Cunha, André Vargas e Luiz Argolo. Eles permanecem na Ala Especial do complexo. Neste espaço, as visitações acontecem sempre na sexta-feira. A rotina é igual a todos os outros dias do ano.

Apesar de não receberem visitas adicionais neste natal, uma portaria do Depen garante a todos os presos o direito de receber uma refeição completa da família. Segundo as determinações, os visitantes podem levar aos detidos os alimentos que já são permitidos em dias normais, além de uma porção extra de arroz ou macarrão, salada ou maionese, carne sem osso e uma sobremesa.

No Complexo Médico-Penal (CMP), as visitações são divididas em três dias. Na Ala Especial, onde ficam os presos da Lava Jato, elas acontecem sempre nas sextas-feiras. Na Galeria Comum as visitações são no sábado, e na Galeria de Medidas de Segurança elas são aos domingos. Em todos os casos, são permitidos até dois familiares por visitas. Os presos podem ficar acompanhados entre uma e quatro horas da tarde.

Os 11 presos da Lava Jato (como Marcelo Odebrecht, Antonio Palocci e Léo Pinheiro) que estão detidos na carceragem da Superintendência da Polícia Federal em Curitiba também não têm nenhum tipo de programação especial. O natal na PF será como um final de semana qualquer. As refeições dos presos são as mesmas de um dia comum. Na Polícia Federal, as visitas acontecem às quartas-feiras. Assim como no sistema penitenciário, também não são abertas visitações extras.