Presas estão algemadas no corredor de delegacia no PR

Foto ilustrativa: Reprodução / Alesp
Foto ilustrativa: Reprodução / Alesp

Após a rebelião na Penitenciária Estadual de Cascavel e o motim em Maringá, uma nova situação no sistema penitenciário do Paraná chama a atenção. Desta vez os problemas são na delegacia de Araucária, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC), onde duas mulheres são mantidas presas no corredor, algemadas em uma cama, pois não existe espaço adequado para mulheres.

Sesp anuncia medidas para reduzir superlotação em delegacias; Piraquara terá novo presídio
População carcerária feminina cresce 700% em dezesseis anos no Brasil

De acordo com a reportagem de Cristina Seciuk, da rádio CBN Curitiba, a delegacia possui 87 presos em um espaço que comportaria apenas 20 pessoas. Superlotação em delegacias do Paraná não é uma novidade, tem sido denunciado com frequência por delegados e sindicatos que defendem as categorias ao longo do ano, mas a situação envolvendo as duas mulheres algemadas em uma cama no corredor da delegacia é uma novidade.

“Esse problema acontece em todas as delegacias do Paraná. Infelizmente, esse excesso de presos acaba dificultando todo o trabalho da polícia. Ao invés de trabalhar em prol da sociedade, combatendo a insegurança, ficamos à mercê de cuidar dos presos. É um ‘calcanhar de Aquiles’ pois deixamos de fazer nossa atividade para atender os familiares dos presos”, declarou o delegado Messias da Rosa, que comanda a delegacia há um ano, em entrevista à CBN.

De acordo com o delegado, a expectativa é por uma nova tentativa de transferência, ao menos das duas presas, com ajuda da OAB. O delegado afirma que já enviou mais de 15 oficios à Justiça e ao Departamento Penitenciário (Depen).

De 14 obras de presídios no PR, uma está em andamento
Sobre a situação das carceragens, a Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária defende que a responsabilidade pela retirado dos presos após solicitações é do Comitê de Transferência de Presos, o Contransp, formado por integrantes do Poder Judiciário, Depen e Ministério Público.