Ex-diretor da Appa é preso na Operação “à Deriva” do Gaeco

Porto de Antonina

Com CBN Curitiba

O ex-diretor da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa), Luiz Carlos de Souza, foi preso nesta sexta-feira (14) na Operação à Deriva, do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Paraná (MP-PR).

Além do mandado de prisão preventiva contra ele, outros dois de prisão – uma preventiva e uma temporária – e nove mandados de busca e apreensão foram cumpridos. Os mandados de busca e apreensão foram cumpridos em Antonina, Pontal do Paraná, Paranaguá, Pinhais e Curitiba.

Os alvos da operação são investigados por crimes de corrupção ativa e passiva e associação criminosa.

Denúncia

Na última semana, MP-PR denunciou onze pessoas por corrupção, por meio da 2ª Promotoria de Justiça de Antonina, no litoral do Paraná. Entre os denunciados, estão o ex-prefeito, ex-vereadores e ex-secretários da gestão 2013-2016 e o ex-diretor da Appa.

De acordo com as investigações do MP, o então prefeito pagou propina a alguns vereadores para que eles votassem contra sua cassação em processo que estava em curso na Câmara Municipal. Além disso, o ex-prefeito teria pago para que vereadores apoiassem sua gestão. Quanto ao ex-diretor da Appa, o órgão apurou que ele teria pago para que alguns vereadores retirassem de pauta no Legislativo projeto contrário aos interesses da atividade portuária.

O ex-prefeito e os ex-vereadores foram presos em março deste ano, no âmbito da Operação Grande Hermano.

Por meio de nota, a Appa afirmou que apoia as investigações. Veja na íntegra:

A Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa), ao tomar conhecimento da investigação do Ministério Público do Estado do Paraná (MPE), referente ao envolvimento de integrante do quadro diretivo do Porto de Antonina com a Prefeitura Municipal de Antonina, determinou a abertura de procedimento administrativo para apuração dos fatos, formalizado pela Portaria 169/2017 – APPA, de 04/05/2017.

A Appa informa ainda que, inicialmente, o diretor do Porto de Antonina foi afastado das suas funções e, posteriormente, exonerado dos quadros da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina, por meio da portaria n. 188/2017 de 17 de maio de 2017, em virtude das denúncias do MPE.

A Administração defende a investigação de eventuais irregularidades de forma ampla e irrestrita, visando apurar todas as denúncias, e se coloca à disposição das autoridades.