Foragidos de grandes operações são presos em Curitiba

Foto: Polícia Civil
Foto: Polícia Civil

 

Jean Stannelay Martins, 29 anos, e Carlos Alberto Padilha da Silva, 26 anos, ambos foragidos da Justiça, foram presos pela equipe do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope) durante uma ação realizada em apoio a 18ª Subdivisão Policial (SDP) de Telêmaco Borba. As prisões aconteceram nos bairros Portão e Sítio Cercado, em Curitiba.

De acordo com informações policiais, Martins era o único alvo da “Operação Cangaço” – desencadeada pela 18ª SDP, em janeiro de 2016 – que ainda estava foragido. O homem é suspeito de integrar uma associação criminosa especializada em mais de 20 roubos a bancos e caixas eletrônicos no estado. Sua prisão aconteceu após uma troca de informações entre as polícias, em que foi possível abordá-lo próximo a supermercado no bairro Portão.

No momento da abordagem, o suspeito tentou se passar por outra pessoa e apresentou uma Carteira Nacional de Habilitação (CNH) que não era sua, utilizando outro nome. Porém, através de consultas no sistema, os policiais logo descobriram a real identidade do suspeito.

Em continuidade as diligências, a equipe se deslocou até a residência de Martins, situada no bairro Sítio Cercado, onde Silva foi encontrado – o qual tentou fugir ao perceber a presença dos policiais, porém não obteve sucesso. O homem é suspeito de matar Fabiano Gonçalves, 32 anos, com aproximadamente seis disparos de arma de fogo, no mês de fevereiro deste ano.

Silva também era o único foragido da “Operação Bala de Prata”, desencadeada pela Polícia Civil de Santo Antônio de Platina, com o intuito de elucidar homicídios ocorridos nos primeiros meses do ano no município. O suspeito informou à equipe que havia um revólver de calibre 32 com duas munições intactas escondido no forro da casa – a arma foi apreendida junto de uma balaclava encontrada no interior da residência.
A dupla foi encaminhada ao Setor de Carceragem Temporária (Secat) do Cope, onde aguardam presos à disposição da Justiça.

ADULTERAÇÃO DE VEÍCULO

Em outra ação realizada no fim da tarde de quarta-feira (10), a equipe do Cope prendeu Francisco Bento Duarte Filho, 38 anos, em posse de um caminhão com placas adulteradas, no momento em que descarregava uma carga de gesso em uma empresa situada na Cidade Industrial de Curitiba (CIC).

A prisão ocorreu após uma denúncia anônima feita através do 197, relatando que havia um caminhão clonado descarregando uma carga de origem possivelmente duvidosa. Diante do fato, a equipe se deslocou até o local e se deparou com o veículo estacionado em frente a empresa. Momento em que passaram a vistoriar e constataram que as placas estavam trocadas.

Passado alguns minutos, o condutor do caminhão chegou até o veículo e foi abordado pela equipe. O homem confirmou que as placas estavam adulteradas e alegou ter feito isso, pois o caminhão estava com um mandado de busca e apreensão – como trouxe a carga da Bahia (BA), tentou ludibriar a polícia para não ser pego em radares e eventualmente preso.

Filho foi encaminhado à delegacia, onde foi autuado em flagrante por adulteração de sinal identificador de veículo e permanece preso à disposição da Justiça. “Importante ressaltar que o dono do estabelecimento em que Filho descarregou a carga de gessos também foi trazido para a unidade, pois o produto não apresentava nota fiscal. Diante do fato, foi realizado contato com o órgão competente e após o pagamento de devidos impostos foi liberado”, finaliza o delegado titular do Cope, Rodrigo Brown.

RECEPTAÇÃO

Alessandra Baptista Faria, 18 anos, foi presa em flagrante, na tarde de quinta-feira (11), após tentar vender uma motocicleta roubada em um site de compra e venda da internet. A jovem foi presa em sua residência, no bairro Mercês pela equipe de investigação do Cope. Com ela, a equipe também encontrou uma porção de crack.

Os policiais chegaram até Alessandra após receber a informação de que uma moto que havia sido roubada na quarta-feira (10), no bairro Rebouças, estava sendo anunciada para venda por um valor muito inferior ao que de fato valia – R$600 à vista.

Diante do fato, a jovem foi autuada em flagrante por receptação e tráfico de drogas. Alessandra está presa à disposição da Justiça.