Funcionária da Copel diz que desviou dinheiro para ajudar a família

Foto: AEN

Com BandNews Curitiba

A funcionária da Companhia Paranaense de Energia Elétrica (Copel), presa na última terça-feira (4), confessou que desviou dinheiro da empresa nos últimos meses e afirmou que o fez para ajudar a família. Segundo a polícia, foram desviados, por ela, cerca de R$ 500 mil.

Em depoimento à polícia, a mulher disse que agiu sozinha e que cometeu o crime porque tem leucemia, o que daria a ela pouco tempo de vida. Ela afirmou que o dinheiro ajudaria sua família, caso ela morresse. Entre os bens adquiridos por ela com os valores desviados estão eletrodomésticos, eletrônicos, móveis, produtos de beleza, um terreno de R$ 94 mil e a contratação de uma construtora por cerca de R$ 260 mil e um carro de R$ 128 mil, com acessórios que somam cerca de R$ 12 mil.

Ela disse que o veículo foi adquirido para que, no futuro, possa ser revendido e, assim, a faculdade da filha estaria garantida. Hoje, a menina tem apenas 13 anos.

A mulher, que não teve o nome divulgado, falsificava faturas e boletos e inseria os débitos no sistema da Copel, fazendo com que a empresa pagasse pelas compras dela, como explica o delegado do Núcleo de Repreensão a Crimes Econômicos (Nurce), Gustavo de Brito. “Ela fazia compras diversas, pedia para pagar por boleto, pegava os dados do boleto e montava uma fatura falsificada para que a Copel quitasse”.

Agora afastada da Copel, por onde esteve durante oito anos, a mulher deve responder pelos crimes de peculato, que é o desvio de dinheiro público, lavagem de dinheiro e falsificação de documentos.