Justiça ouve ex-BBB Laércio, vítimas e testemunhas em caso de abuso

Reprodução / Facebook
(Nerley Resende e Fernando Garcel)

O ex-BBB Laércio de Moura, que está preso desde maio deste ano, e pelo menos uma vítimas de abuso apontada no processo contra o ex-BBB serão interrogados nesta terça-feira (20), a partir das 13h, na Vara de Infrações Penais contra Crianças, Adolescentes e Idosos e Infância e Juventude, em Curitiba.

A audiência precede a marcação da sentença do juiz. De acordo com o advogado Ronaldo Manoel Santiago, criminalista que defende Laércio, todos os envolvidos devem ser ouvidos. “Marcado para ouvir as partes do processo, e para ver se marca se o juiz marca a sentença. Depende do juiz. Nesse momento vamos aguardar, vai ser ouvida a vítima e depois nós vamos nos manifestar sobre os depoimentos”, diz.

Denúncia

A Justiça do Paraná aceitou em julho a denúncia do Ministério Público do Paraná (MP-PR) contra o ex-participante do Big Brother Brasil. Ele é réu no processo por crime de estupro de vulnerável e tráfico de drogas. Preso desde maio, o caso está em segredo de Justiça.

Sem títuloA prisão foi realizada pelo Nucria, o Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente Vítimas de Crimes. Laércio de Moura, de 53 anos, é suspeito de ter cometido estupro de vulnerável e de ter fornecido bebidas alcoólicas a adolescentes. As provas que incriminam o tatuador foram encontradas pela polícia no computador, pen drives e celulares de Laércio. Em depoimento, o ex-BBB nega as acusações.

No inquérito constam dois estupros numa mesma vítima e uma tentativa em outra. O crime teria sido praticado em 2012. A vítima seria uma adolescente que tinha 13 anos na ocasião. Atualmente, com 17, ela confirmou à polícia o envolvimento com Laércio. De acordo com a denúncia, ele fornecia bebida alcoólica para a garota. Os dois haviam se conhecido em um evento público em Curitiba e mantiveram contato por cerca de três anos. A família da garota não tinha conhecimento até a polícia ter chegado na vítima.

Na época da prisão, a delegada titular do Nucria, Daniela Andrade, e a delegada adjunta Patricia Conceição, afirmaram que a investigação teve início na época do “BBB16”, a pedido do Ministério Público. “A partir do momento que ele apareceu no programa, eles receberam varias denuncias de que ele se relacionava com menores de 14 anos, o que caracteriza o crime de estupro. A lei presume a violência quando o maior de idade se relaciona com uma criança ou um adolescente menor de 14 anos”, explicou Andrade.

Polêmicas

Desde que Laércio foi anunciado como participante do “BBB16”, surgiram nas redes sociais várias denúncias de que ele se envolvia em sexo com meninas menores de idade e oferecia álcool a elas. Seu perfil no Facebook também causou controvérsia. Em um post, que circulou na internet, o curitibano se definia como “efebófilo”, uma pessoa que sente atração sexual por adolescentes. O perfil acabou desativado enquanto ele ainda estava no programa.

Dentro da casa, Laércio acabou virando alvo da mineira Ana Paula, que constantemente criticava o comportamento do curitibano e a forma com que ele olhava para as participantes mais jovens. Em uma das várias discussões entre os dois, Ana Paula chegou a chamá-lo de “pedófilo”. Os dois se enfrentaram no segundo paredão da edição e Laércio acabou eliminado com 54% dos votos, no dia 02 de fevereiro.