Mesmo com a morte de dois inocentes, autoridades comemoram ação contra a ataque a carros fortes

Divulgação PRF
Divulgação PRF

Apesar da morte de três pessoas (duas delas vítimas de balas perdidas) as autoridades de segurança pública do Paraná consideraram um sucesso a ação desta terça-feira que impediu o assalto a cinco carros fortes na BR-376, em Palmeira, na região dos Campos Gerais, no Paraná. Segundo o secretário estadual de Segurança Pública, Júlio Reis, troca de informações e o trabalho conjunto entre Polícia Rodoviária Federal, Polícia Militar e Polícia Civil foi determinante para frustrar a ousada tentativa de assalto. “Foi fundamental a nossa sinergia anunciada ontem já ocorrer no dia de hoje”, chegou a comemorar o secretário, que tomou posse ontem.

“Tivemos, ainda que numa situação muito ousada do crime, uma resposta pronta da segurança pública do paraná, os resultados estão postos. Uma quadrilha foi desbaratada e tivemos um óbito de marginal. Lamentamos pelas vidas que foram ceifadas nesta ação marginal, independente do enredo desta ocorrência”, comentou o comandante do Batalhão de Operações Especiais da Polícia Militar, Hudson Leôncio Teixeira.

São marginais de alta periculosidade, estavam com armamento pesado. Levaram azar porque os vigilantes reagiram, o que eles não esperavam, e, também pelo cerco que nós fizemos. Temos informação de que eram em torno de 12 a 15 marginais. Dois foram presos e um foi morto em confronto. Então, temos oito a 10 assaltantes que estão na marta, e as buscas seguem no local”, relatou o delegado do Centro de Operações Especiais (Cope) da Polícia Civil, Rodrigo Brown.

O superintendente da Polícia Rodoviária no Paraná, Adriano Furtado, destacou a ação dos vigilantes da empresa de transporte de valores, que resistiram ao ataque até a chegada das forças policiais. “Era uma quadrilha fortemente armada, que se preparou para essa ação. Deram azar porque os vigilantes reagiram, o que os surpreendeu, e pelo cerco que nós fizemos”, disse. Ele elogiou a estratégia da empresa de fazer o deslocamento em comboio de cinco carros fortes. “Por conta dos vários casos de assalta a carros fortes que observamos recentemente, as empresas passaram a adotar essa estratégia de promover o deslocamento em comboio. O que se mostrou eficiente, pois havia um número de vigilantes significativo para conter a ação criminosa e acionar as forças policiais”, contou.

Vítimas inocentes

Na troca de tiros, dois ocupantes de veículos que transitavam pela rodovia foram baleados e morreram no local: o vereador Elton Alexandre Aguiar Matta, do município de Barra do Jaceré, e o caminhoneiro Vilson Pereira. Outro vereador do município do norte do Estado, Miguel Calixto, foi baleado na cabeça e encaminhado para um hospital de Ponta Grossa em estado grave. Um outro caminhoneiro foi ferido na perna por um tiro disparado por um dos assaltantes que queria obrigá-lo a atravessar o caminhão na estrada. “Infelizmente tivemos pessoas inocentes atingidas e todas as hipóteses vão ser investigadas. Todas as armas, inclusive as dos vigilantes, foram apreendidas para fazermos toda a investigação e termos um panorama concreto do que aconteceu”, disse o delegado do Cope. “Mesmo que a morte de vítimas inocentes tenha sido causada pela arma de um vigilante, é evidente que foi uma consequencia do confronto, sem intenção dos vigilantes de atingir inocentes”, acrescentou.