Morte de jovem em Campo Largo pode ter sido crime passional

Foto: reprodução / Facebook
Foto: reprodução / Facebook

BandNewsCuritiba

A jovem de 25 anos encontrada morta em Campo Largo, na Grande Curitiba, na última segunda-feira (8), pode ter sido vítima de um crime passional. Essa é uma das principais hipóteses consideradas pela polícia após o depoimento de 12 pessoas.

O corpo de Luana Caroline Magaton foi localizado no banco traseiro de um carro parcialmente queimado no bairro Itaqui de Cima. Ela apresentava manchas avermelhadas no pescoço, o que indica a possibilidade de estrangulamento, segundo o delegado Cassiano Aufiero, responsável pelo caso.

“A vítima não possui antecedente criminal, envolvimento com droga, qualquer tipo de vida desregrada, era uma menina trabalhadora… então a possibilidade de ser uma motivação passional é grande,  mas nós não podemos afirmar ainda”, disse.

A moça trabalhava como atendente no Hospital do Rocio e o crime chocou os moradores. O veículo onde o corpo dela foi encontrado não tem alerta de furto nem de roubo, mas mensagens de celular apagadas recentemente podem ajudar a polícia nas investigações. Por enquanto, o que se sabe é que ela estava se relacionando com uma pessoa.

Todas as testemunhas ouvidas pela polícia teriam contado que, no dia anterior ao crime, Luana estava muito nervosa e que na segunda-feira ela saiu de casa antes do normal dizendo que pretendia dar carona para uma amiga até o trabalho. O corpo da moça foi sepultado na tarde da última terça-feira (9).