Baleia Azul: Ministério da Justiça determina que PF investigue envolvidos

Baleia Azul

 

A Polícia Federal (PF)  assumiu a investigação do jogo Baleia Azul, que pode estar levando jovens a mutilações corporais e até ao suicídio. A determinação é do ministro da Justiça, Osmar Serraglio. O jogo é divulgado pelo Facebook e Whatsapp e instiga os participantes, em maioria adolescentes, a cumprirem 50 tarefas, sendo que a última delas é o suicídio.

De acordo com o Ministério da Justiça, a medida foi tomada após apelos feitos a Serraglio pelo prefeito de Curitiba, Rafael Greca, e pelos deputados federais Laudívio Carvalho (SD-MG), Carmem Zanoto (PPS-SC), Pollyana Gama (PPS-SP) e Eliziane Gama (PPS-MA). Segundo a pasta, eles relataram a adesão de adolescentes brasileiros que estão cumprindo os desafios propostos pelo jogo em estados como Paraná, Minas Gerais, Pernambuco, Maranhão e Amazonas.

Pelo menos três mortes suspeitas de estarem relacionadas ao suposto jogo já são investigadas pelas autoridades locais de Belo Horizonte, Pará de Minas (MG), Arcoverde (PE). No Rio de Janeiro, a Polícia Civil investiga, pelo menos, quatro casos suspeitos, todos envolvendo adolescentes a prática do jogo no estado.

Força Tarefa Baleia Azul

No Paraná, uma força-tarefa foi criada para combater a onda de automutilação e tentativas de suicídios entre adolescentes em decorrência do jogo. Participam do grupo o Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), o Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente Vítimas e Crime (Nucria), o Núcleo de Crimes Cibernéticos (Nuciber) e a Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).