PM gastou R$ 150 mil e manteve helicópteros 16 horas no ar em ‘Operação Lula’

Foto: Jafi Augusto / colaboração
Foto: Jafi Augusto / colaboração

Apenas para manutenção do efetivo de 1700 policiais militares no esquema de segurança no dia do depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na quarta-feira (10) da semana passada em Curitiba, foram gastos R$ 110 mil em dinheiro público do governo do Paraná.

As informações divulgadas nesta quarta-feira (17) estão em resposta a um pedido de informações feito na Assembleia Legislativa do Paraná pelo líder da bancada de oposição, deputado Tadeu Veneri (PT).

Segundo o documento, na “Operação de Apoio à Justiça Federal”, da Polícia Militar (PM), entre 6 e 10 de maio, os helicópteros utilizados tiveram 16 horas de voo, com custo total de cerca de R$ 40 mil. Cada hora no ar custa R$ 2,5 mil, conforme as informações oficiais da PM.

Os dados não incluem as despesas da Guarda Municipal de Curitiba e do Exército.

Na semana passada, a Secretaria de Estado da Segurança Pública do Paraná (Sesp) divulgou que outros 1,3 mil guardas municipais e integrantes do Exército participaram da mobilização. A ação integrada foi chamada de Operação Civitas.

Ataque a acampamento 

Com todo o aparato, a operação foi considerada um sucesso, quase sem ocorrências relacionadas. Mesmo assim, a operação toda não foi capaz de impedir o único ato violento registrado em torno do evento.

Na véspera da audiência, na madrugada do dia 9 para o dia 10 de maio, o acampamento de movimentos sociais pró-Lula foi atacado com fogos de artifício. Duas pessoas ficaram feridas. Não havia policiais na segurança dos cerca de 5 mil acampados.