Pais são condenados a 28 anos de prisão por assassinato da filha de 4 anos

filha

O Tribunal do Júri de Rolândia, no norte do Paraná, condenou um casal pelo assassinato da filha de quatro anos, na noite de quinta-feira (20).

A mulher recebeu pena de 28 anos e oito meses de reclusão, e o homem, 28 anos e um mês. A pena do réu foi menor porque ele confessou o crime de ocultação de cadáver.

Todos os pedidos do Ministério Público do Paraná foram aceitos. A 3ª Promotoria de Justiça da Comarca, que atuou na acusação, defendeu a tese de homicídio com quatro qualificadoras (motivo fútil, emprego de asfixia, recurso que dificultou a defesa da vítima e feminicídio) e ocultação de cadáver.

O crime ocorreu entre 31 de dezembro de 2015 e 1º de janeiro de 2016 – não foi possível precisar a data, já que o corpo foi encontrado em decomposição, num terreno baldio de Rolândia.

Na época, o assassinato causou grande repercussão por envolver criança, por não ter sido registrado nenhum caso de desaparecimento de menina na região (o que dificultou a identificação) e, posteriormente, pela descoberta de que os responsáveis pela morte eram os próprios pais, que, após o crime, fugiram para São Paulo.

No primeiro depoimento à polícia, a mãe da criança afirmou que a criança teria passado mal, com fortes dores abdominais, e foi medicada de noite. Quando acordou, segundo a mãe, a garota estava morta. O marido teria mandado ela sair de casa e ser responsável por ocultar o corpo da menina em um terreno baldio. Depois, em fevereiro do ano passado, o pai confessou que asfixiou a criança.

Os pais estão detidos desde janeiro de 2016.