Torcedores agredidos estavam em ônibus que não seguiu orientação da PM

Briga de torcida

O 12º Batalhão de Polícia Militar, responsável pelo policiamento do jogo entre Coritiba e Corinthians deste domingo (18), informou, em nota, que os torcedores envolvidos na briga desta manhã estavam em um ônibus que não seguiram as orientações da PM para a chegada na capital.

A ocorrência aconteceu por volta de 8h30, na Rua Amâncio Moro, nas imediações do estádio Major Antônio Couto Pereira. Torcedores do Coritiba agrediram corintianos que desembarcavam para a partida. Com apoio do Batalhão de Operações Especiais (Bope), equipes da PM dispersaram os torcedores. No confronto, seis pessoas ficaram feridas, segundo a PM. Elas foram socorridas pelo Siate do Corpo de Bombeiros – uma em estado grave encaminhada ao Hospital Evangélico e as outras cinco levadas para os hospitais Cajuru e Trabalhador.

Ao longo da manhã e após o jogo, não houve registros de outros tumultos envolvendo torcedores nas proximidades do estádio. O 12º Batalhão reforçou o policiamento em toda a região do estádio com apoio de outras unidades da Polícia Militar, incluindo reforço para a escolta dos ônibus que vieram de São Paulo com torcedores.

Escolta

Ao todo, o Bope escoltou 38 ônibus coletivos com torcedores do Corinthians desde a chegada à capital até o estádio, sem nenhum incidente. A Rotam do 13º Batalhão também escoltou outros 8 ônibus com torcedores corinthianos oriundos da região norte da capital paranaense.

Outros três ônibus não acataram a orientação da PM, deslocaram por conta própria, sem informar o itinerário à corporação, e acabaram sendo alvo do confronto entre rivais, informou a polícia.

A PM informa ainda que antes de algumas partidas é feita uma reunião com dirigentes e representantes de torcidas ou, quando não há reunião, como foi no caso desta partida, é feito contato com as torcidas organizadas para fechar acordos e trocar informações de como será o policiamento, bem como sobre o público esperado a pé ou de ônibus e como serão as escoltas.

“A PM lembra que há anos têm feito este trabalho e quando as partes cumprem as regras o número de incidentes é menor”, diz a nota.