Deputada petista pede investigação de quem editou e compartilhou vídeo

Erika Kokay

A deputada Erika Kokay (PT-DF) disse que acionou a Polícia Federal (PF) e que vai processar os responsáveis pela edição e distribuição de um vídeo em que aparece fazendo declarações que induzem as pessoas a um contexto diferente do original. “Deputada do PT defende incesto em uma sociedade socialista”, afirmavam conteúdos publicados nas redes sociais no último final de semana.

As publicações trazem um vídeo com o trecho editado de uma palestra que a deputada apresentou no Paraná, no sindicato dos trabalhadores em educação pública do Estado (APP-Sindicato), em maio do ano passado. (Veja o original abaixo).

Pela edição do vídeo, quem assiste é induzido a pensar que ela defende o fim da família tradicional como forma de se combater a propriedade privada, introduzir a anarquia na sociedade e, assim, torná-la “incestuosa”. O vídeo teve milhares de compartilhamentos nos últimos três dias.

MBLA apresentação completa da deputada (veja o vídeo abaixo) mostra um contexto da fala completamente diferente do apontado na edição.

Erika se referia a uma estratégia de grupos da extrema-direita de construírem um discurso sobre ideologia de gênero para se retirar a laicidade do Estado.

A deputada disse que irá processar não só quem publicou o vídeo, mas também quem o compartilhou.

“Já acionamos a Polícia Federal para identificar os autores do vídeo e para solicitar que seja retirado do ar”.“Em ataques contra mim, usaram foto dos meus filhos, insinuando que eles participam de relações incestuosas em casa. Irão todos responder na Justiça”, disse Kokay ao jornal Gazeta do Povo.

“Nunca defendi o incesto ou o fim da família tradicional”, explicou.

Para a deputada a edição foi um ataque relacionado à sua posição contrária à PEC 181, sobre o aborto. A proposta foi aprovada, na semana passada, na Comissão Especial da Câmara por 18 votos a 1. Erika Kokay foi a única que votou contra.

O abaixo-assinado pedindo a cassação da deputada já foi retirado do ar.

Vídeo original com a fala completa da deputada: