Gleisi Hoffmann e Paulo Bernardo são intimados a depor no STF

gleisi-e-paulo-bernardo

A senadora Gleisi Hoffmann, presidente do PT,  e seu marido, o ex-ministro Paulo Bernardo, vão sentar no banco dos réus pela primeira vez no próximo dia 28 de agosto.

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Edson Fachin, marcou o depoimento no processo em que o casal é acusado de ter recebido R$ 1 milhão desviados da Petrobras para a campanha ao Senado em 2010.

A lista de depoentes inclui ainda o empresário Ernesto Kugler Rodrigues, que tem o depoimento marcado para o dia 30. Os três são acusados de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

A denúncia foi feita pela Procuradoria-Geral da República e acolhida em setembro do ano passado.  A acusação é baseada nas delações do ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa e do doleiro Alberto Youssef.

O dinheiro teria sido pedido por Paulo Bernardo ao ex-diretor da Petrobras. A operacionalização dos repasses teria sido feita por Alberto Youssef e o empresário Ernesto Rodrigues teria recebido os valores.

O caso passou para as mãos de Fachin depois da morte do relator da Lava Jato, o ministro Teori Zavaski.

Defesa

Os acusados negam a acusação e alegam falta de provas e contradições nas delações. Os ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff estão entre as testemunhas de defesa.