Gleisi justifica ausência em votação que derrubou afastamento de Aécio

Foto: Alessandro Dantas / PT no Senado
Foto: Alessandro Dantas / PT no Senado

A senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), presidente nacional do PT, justificou nesta quarta-feira (18) sua ausência na votação que decidiu por derrubar afastamento imposto pelo Supremo Tribunal Federal (STF) ao senador Aécio Neves (PSDB-MG). Gleisi está em viagem oficial, na Rússia.

Por meio da assessoria, a senadora argumenta que a viagem foi votada e autorizada em plenário no Senado no dia 12 de setembro, um mês antes da marcação da votação do pedido de afastamento de Aécio Neves, decidida na semana passada, após posicionamento do STF.

Gleisi viajou no dia 12 de outubro, junto com outros quatro senadores, para participar, no Parlamento Russo, de reuniões do bloco econômico Brics, formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul.

A senadora ressalta que no dia 29 de setembro o PT entrou com uma representação contra o Aécio no Conselho de Ética do Senado. Ela afirma que se estivesse presente votaria de acordo com a orientação a bancada do PT, que se posicionou favorável ao afastamento do senador tucano.

Outro senador petista que não votou foi Jorge Viana, do Acre, que também está na Rússia. Os outros sete petistas no Senado votaram pelo afastamento de Aécio. Junto com Gleisi e Viana, a comitiva também contou com os senadores Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), Sérgio Petecão (PSD-AC), e Roberto Muniz (PP-BA).

Por 44 votos a 26 em votação aberta, o plenário do Senado decidiu nesta terça-feira (17) revogar o afastamento de Aécio do mandato. Entre os senadores paranaenses, Álvaro Dias (PODE), e Roberto Requião (PMDB) votaram pelo afastamento do tucano.

De acordo com a assessoria da senadora Gleisi Hoffmann, a presença dela e dos outros senadores que faltaram à sessão não faria diferença na votação, já que o bloco favorável ao tucano ultrapassou os 41 votos, que é a maioria absoluta no Senado, marca necessária para decidir esse tipo de medida.

Aécio Neves havia sido afastado no dia 26 de setembro por determinação da 1ª Turma do STF devido a investigações decorrentes da delação premiada de executivos da JBS. Aécio foi gravado em conversa com Joesley Batista e o primo dele chegou a ser preso após ser flagrado com uma mala de dinheiro.

Outras medidas do STF, que incluíam o recolhimento domiciliar noturno de Aecio e a entrega do passaporte à Justiça, também foram revertidas com o resultado da votação no Senado.

Ao todo, 71 dos 81 senadores compareceram à sessão. Faltaram nove senadores, além do próprio Aécio.

Economista afastado do Brics

Ainda na Rússia, Gleisi divulgou nota nesta quarta-feira para criticar o afastamento do economista Paulo Nogueira Batista Jr., que foi afastado da vice-presidência do Novo Banco de Desenvolvimento (Banco dos Brics) pelo governo Michel Temer. “Por razões exclusivamente políticas”, escreveu a senadora.

“Paulo Nogueira é um brilhante economista, um quadro que orgulha o Brasil e um dos maiores entusistas do projeto dos BRICS. O episódio demonstra a pequenez da equipe econômica do governo golpista, que não tem visão estratégica de país e promoveu uma perseguição mesquinha”, criticou em nota.

Gleisi e a comitiva de senadores que está na Rússia devem voltar ao Brasil na noite desta quarta-feira (18).