Desconhecida faz campanha para ajudar pai que pedia dinheiro em semáforo

Campanha face

A cena de uma pessoa deitada sob a marquise ou pedindo dinheiro nas ruas nos causa tanto desconforto que, muitas vezes, é mais fácil ignorar ou apenas sentir pena e esquecer. Mas uma dona de casa fez diferente: no caminho para o trabalho, num semáforo, ela abriu o vidro do carro e ouviu o que o desconhecido tinha a dizer. Era um pedido de socorro. A história foi postada nas redes sociais e a publicação teve mais de 13 mil compartilhamentos.

“Gente… a caminho do trabalho eu sempre encontro esse cara no semáforo. Hoje quando eu abri o vidro para ajudar com umas moedinhas, ele disse algo que me fez estacionar e ir até ele bater um papo. Ele disse: moça, esse é o ultimo carro que eu peço dinheiro hoje porque a humilhação que tô vivendo já me fez desistir de tudo. Engole o choro, Renata.
Esse cara precisa de alguém que olhe pra ele e veja oportunidade, que veja humanidade, que veja vida.
Ficar triste e chorar é humilhar o cara duas vezes”, contou Renata Stort, moradora de São Bernardo do Campo, SP.post

Rodrigo é de Curitiba e foi para Diadema (SP) com a mulher e o filho de 2 anos. Ele é pintor, mas está desempregado e passando por dificuldades. Com o post e a campanha, Renata mobilizou milhares de pessoas e conseguiu dezenas de oportunidades de trabalho.
“É pintor de mão de cheia. Deu detalhes pra mim de tudo o que sabe fazer que vai desde pintura predial até acabamentos mais detalhados.
Por favor, se souber de um bico, trampo, serviço, qualquer coisa pro Rodrigo não desistir dele e nem de nós (mundo) avisa.
Eu vejo o cara todo dia e posso passar o recado. Só me chamar inbox”, diz o post.

Com a repercussão até a família do rapaz, de Araucária, na Região Metropolitana de Curitiba, apareceu. Renata conversou com o pai dele, que ficou desesperado ao saber da situação do filho:

“Ele estava eufórico, falava acelerado. A impressão era que seu coração estava saindo pela boca. Conversamos por 20 minutos… O Sr. José me disse que a esposa, mãe do Rodrigo, não consegue dormir e que estavam desesperados a mais de 1 mês procurando pelo filho. Eu juro que eu queria, naquele momento, dizer “Sr. José está tudo bem, ele está empregado e já tem roupas, celular para falar com vocês e blá blá blá, mas eu ainda não tinha essa boa notícia para dar. E então eu pensei, eu preciso acalmar essa família e disse a verdade “Sr. José, eu não sei dizer o quanto, mas tem mais de 13 mil pessoas cuidando do seu filho”, disse Renata.

A dificuldade agora é encontrar Rodrigo que, desde a postagem nas redes sociais, não apareceu mais na região.

“Dedos cruzados. Precisamos encontrá-lo, principalmente para essa mãe ouvir a voz o filho!”,  Renata.