Marcelo Serrado fala sobre atuação em “Os Vilões de Shakespeare”

OS VILÕES DE SHAKESPEARE
Foto: Divulgação/Festival de Teatro

“Estava encenando ‘Rain Man’ quando o Zé Wilker me apresentou o “Shakespeare’s Villains”, conta Marcelo Serrado, protagonista do espetáculo solo “Os Vilões de Shakespeare”, dirigido por Sergio Módena, que será apresentado no Festival de Teatro de Curitiba, nos dias 01 e 03 de abril, no Sesc da Esquina.

Geraldo Carneiro, o novo imortal da Academia Brasileira de Letras, é o responsável pela montagem brasileira do texto de Steven Berkoff. “É um privilégio trabalhar com textos tão maravilhosos, extraídos de personagens marcantes da obra do Shakespeare. Vilões como Ricardo III, Coriolano, Iago, Hamlet e outros que não gosto de pronunciar porque acho que não dá sorte”, brinca o poeta e dramaturgo.

Em “Os Vilões de Shakespeare”, o escritor inglês, também reconhecido mundialmente por seus trabalhos como ator e diretor, investiga o que torna os vilões tão atraentes para estudantes das artes cênicas e público, examinando e apresentando alguns dos personagens do bardo inglês. “Uma reflexão sobre os dias atuais a partir da vilania, disputa pelo poder e ambição”, pontua Módena.

Com um olhar bem humorado, o diretor delega um desfile de personalidades que possuem a natureza do mal, os pecados do teatro e as vaidades dos atores. Marcelo Serrado interpreta um conferencista, uma espécie de palestrante, que reúne e analisa trechos da obra de Shakespeare e ao mesmo tempo vive os personagens. “Uma ideia maravilhosa a do Steven. A gente apenas transpôs as reflexões para o contexto do teatro brasileiro”, afirma Geraldo Carneiro, tradutor do texto, que já adaptou seis peças de Shakespeare e se considera um apaixonado pelo dramaturgo inglês. “Tenho o meu “sim” engatilhado para tudo o que é relacionado a ele”, diz. O texto americano estreou em 1998, na Inglaterra, foi encenado pelo próprio Steven e indicado para o prêmio The Society Laurence Olivier Award de Londres, como melhor espetáculo. Em 2000 ganhou o Prêmio americano de Teatro LA Weekly para Solo Performance.

“É muito interessante para um ator representar vários vilões. É onde estão os arquétipos, o dissimulado, tirano, vingativo… Essa colcha de retalhos é genial” conta Serrado, que completa, em 2017, 30 anos de carreira. “Shakespeare, através de seus personagens, mostra causa, motivo e justificativa para que possamos compartilhar uma jornada psicológica, no lugar de condenar a maldade”, reflete Marcelo.

Serviço
“Os Vilões de Shakespeare”. Dias 01 e 02 de abril as 21h. Teatro Sesc da Esquina.

Ficha técnica
Intérprete: Marcelo Serrado. Texto: Steven Berkoff. Tradução e Adaptação: Geraldo Carneiro. Direção: Sergio Módena. Codireção: Gustavo Wabner. Figurino: Carol Lobato.
Iluminação: Paulo Denizot. Música Original: Marcelo Alonso Neves. Direção de Movimento: Marcia Rubim. Preparação Vocal: Jaqueline Priston. Designer de Som: Gabriel D’angelo. Vídeos: Chamon Audiovisual. Direção de Imagem: Eduardo Chamon. Edição: Guga Dannemann. Ilustrações: Hugo Rocha. Criação e concepção do Projeto Gráfico: Redondo Estratégia+Design. Consultoria teórica: Liana Leão e Fernanda Medeiros.
Assistente de direção / produção: João Pedro Salles. Operação de Som e Vídeo: Gutto Dutra. Contrarregra: Rodrigo Ferreira. Produção: Barata Comunicação. Direção de produção: Denise Escudero. Realização: Barata Comunicação. Produtores: Eduardo Barata e Marcelo Serrado.