Safra de grãos de verão deve cair 8% no Paraná

Mariana Ohde


O Paraná deve produzir 8% menos grãos de verão na safra 2017/2018, segundo dados da primeira projeção para o período divulgada pelo Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento (Seab), nesta quinta-feira (31).

Entre os principais produtos do estado, o milho deve ter produção 37% menor – de cerca de 4,9 milhões de toneladas no mesmo período de 2016/2017 para 3,1 milhões de toneladas no próximo. A área plantada diminuiu de 513,6 mil hectares para 344,5 mil – 33% a menos. Uma das causas, segundo o Deral, é a supersafra, que causou problemas na estocagem e queda nos preços. “A redução de área é reflexo direto de preços menores, a cotação em julho/17 foi em torno de R$ 18 a saca de 60 kg. Esta mesma saca era cotada a mais de R$30 em 2016”.

“Mesmo com uma redução significativa de área, não deve haver grandes mudanças no abastecimento do cereal no mercado paranaense. A redução esperada de 1,9 milhão de toneladas no volume representa em torno de 10% da produção total paranaense e, neste momento, é suprida por estoques de passagens maiores devido a uma produção ótima ocorrida na safra anterior”.

Para a soja, a queda na produção deve ser de 2%, embora a área plantada tenha aumentado 3%. Da área total estimada para a safra de verão 2017/2018 cerca de 91% será destinada à cultura – cerca de 5,4 milhões de hectares. Em 2016/2017, foram 19,7 milhões de toneladas produzidas. A próxima safra deve chegar a 19,4 milhões de toneladas.

“A área que a oleaginosa avançou nesta safra é oriunda principalmente da cultura do milho. Mesmo com preços menores neste ano, devido à grande oferta mundial e também ao real mais valorizado frente ao dólar, a opção dos produtores pela oleaginosa se deve ao fato de que ainda é o produto mais atrativo em comparação com as outras duas maiores culturas do verão, que são o milho e o feijão”, informa o Deral.

Producao

Feijão tem aumento

Já o feijão teve aumento na produção de 3%, de 368 mil para cerca de 377 mil toneladas. A área de plantio também cresceu (1%). Para a primeira safra temporada 2017/2018, a estimativa é de 196 mil hectares

“Em algumas regiões do estado muitos agricultores apostam no feijão das águas como primeiro plantio e soja como segundo cultivo na safra de verão. O aumento da oferta do produto no Brasil é o principal motivo para a queda nos preços em 2017. De acordo com a estimativa da Conab, na safra 2016/2017 a produção no país foi de 3,35 milhões de toneladas, 33% maior que a anterior. Este volume atende o consumo nacional de 3,35 milhões de toneladas”, diz o Deral.

“O aumento da oferta do produto no Brasil é o principal motivo para a queda nos preços em 2017. Se o clima for favorável, a produção de feijão no verão deverá chegar a 377,5 mil toneladas, cerca de 3% maior que a safra passada”.

Veja o levantamento completo.

Previous ArticleNext Article
Repórter no Paraná Portal
[post_explorer post_id="481604" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]