Startup de Curitiba desenvolve hortas automatizadas para cultivo em casa

BandNews FM Curitiba

Um dispositivo capta as informações das plantas e o sistema orienta o usuário sobre o cultivo.

Sabe aquela história de não saber cuidar de planta? Muita gente nem tenta cultivar uma horta em casa por causa de experiências que sempre terminam com as plantinhas afogadas ou secas. Mas uma startup de Curitiba promete ajudar os desastrados com o plantio caseiro.

Mais do que isso: a Favo Tecnologia quer inspirar as pessoas a produzirem e consumirem o próprio alimento. Um dos sócios da empresa, Marcelo Pinhel, de 26 anos, explica que as informações da planta são enviadas por wi-fi para o sistema da Favo, que indica as melhores práticas para o cultivo. “A gente desenvolveu um hardware, um dispositivo que, uma vez instalado no local de plantio, começa a colher informações vitais para o desenvolvimento das plantas, como horas de sol por dia, temperatura, umidade”, explica.

O aplicativo também é conectado a um sistema de irrigação automatizada, que é acionado conforme a demanda da plantação do cliente.

A Favo nasceu há dois anos e, nesse tempo, 25 hortas automatizadas para pequenos espaços já foram instaladas. Elas têm uma missão: contribuir para uma alimentação saudável, livre de agrotóxicos e acessível para qualquer ambiente. “A gente acredita que a agricultura urbana é um passo muito importante para a sustentabilidade e segurança alimentar das populações”, diz Marcelo.

“No ambiente urbano a gente tem condições boas para o cultivo. A gente tem pouca variação de temperatura, uma alta carga de dióxido de carbono”, afirma. Segundo Marcelo, o sistema também permite que as pessoas consumam alimentos “vivos”, com todas as propriedades, uma vez que chegam instantaneamente à mesa.

O projeto foi desenvolvido por um grupo de amigos,0 ainda na faculdade. Eles vieram do interior e têm experiência com a agricultura – por isso, resolveram unir o conhecimento tecnológico nessa área.

O aplicativo também tem uma função de conectividade entre os cultivadores – e quer alcançar o mundo todo, inspirado nos grupos de troca de informações sobre o tema nas redes sociais. “Nossa intenção, que já está em desenvolvimento agora, é um canal específico para que as pessoas possam trocar informações a respeito do cultivo, das pragas, novas ideias e até mesmo, em um futuro próximo, de sua produção”.

O custo para ter uma horta dessas em casa é, em média, de R$ 400. A empresa deve começar a oferecer, em breve, a tecnologia de irrigação automatizada para hortas horizontais em jardins e quintais.

O projeto-piloto de teste vai ser feito, nos próximos meses, em parceria com a prefeitura de Curitiba, na Horta Comunitária Cajuru, que integra o programa de Agricultura Urbana da Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento (Smab).

Previous ArticleNext Article
Avatar
em 20 minutos tudo pode mudar