Governo vai investir em programas sociais voltados a famílias do campo

Plantao Agronegocio


O governo do Paraná, por meio da Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento, intensificou as ações de segurança alimentar e nutricional para atender as famílias que estão no campo, na cidade em situação de vulnerabilidade social e nutricional, que muitas vezes não têm acesso ao alimento neste ano.

A tendência é que os esforços sejam mantidos no próximo ano, de acordo com a promessa do secretário Norberto Ortigara. Estão sendo investidos cerca de R$ 130 milhões em programas como Leite das Crianças, Restaurantes Populares, Mais Renda no Campo, Modernização de Banco de Alimentos das Ceasas e Cozinhas Comunitárias. São iniciativas que ajudam a reduzir a pobreza e as desigualdades regionais e proporcionam acesso a alimentos de qualidade.

Investimentos

O governo do Paraná está apoiando a construção de restaurantes populares em cidades acima de 80 mil habitantes, para que possam oferecer refeições saudáveis, a preços acessíveis, para desempregados, idosos, estudantes, trabalhadores, entre outros. Serão investidos R$ 13,3 milhões às prefeituras de Curitiba, Maringá e Umuarama para investimentos na construção e reformas de restaurantes populares.

Com recursos do governo do Estado, foram criadas linhas de financiamento com valor máximo de R$ 2,5 milhões para construção de prédio ou reformas; R$ 800 mil para compra de equipamentos e materiais permanentes e R$ 200 mil para compra de materiais de consumo, totalizando R$ 3,5 milhões por município. As prefeituras devem apresentar projetos, documentação regular e devem assumir a manutenção e gestão do empreendimento, além de se responsabilizarem por uma contrapartida de 3% no valor do convênio.

As cozinhas populares ou comunitárias podem ser implementadas nos municípios de pequeno e médio porte. Neste ano foi liberado um total de R$ 813,4 mil para seis municípios: Bandeirantes, Mato Rico, Ibaiti, Cornélio Procópio, Jacarezinho e Joaquim Távora. Desse total, R$ 620 mil foram para investimentos e R$ 142,7 mil em custeio das cozinhas, incluindo a contrapartida da prefeitura.

Como nos restaurantes populares, as cozinhas comunitárias também oferecem refeições saudáveis a preços acessíveis para o mesmo público beneficiário e ainda para a merenda escolar. O limite financeiro do apoio para compra de material permanente e de consumo é de R$ 150 mil por município.

Mais renda no campo

Trata-se de uma ação para promover a geração de renda e desenvolvimento, ampliar a produção e o acesso a alimentos diversificados e de qualidade e ainda reduzir a pobreza e desigualdades. O público beneficiário são produtores vinculados a cooperativas e associações de produtores rurais de 267 municípios.

Serão atendidos 56 projetos no valor total de R$ 9 milhões. A região que mais acessou esse programa foi Curitiba, com a apresentação de 13 projetos, seguida por Cascavel, com 7 projetos; Pato Branco com 6 projetos e Francisco Beltrão e Maringá, com 5 projetos cada um.

O projeto apoia a aquisição de material permanente, de consumo e assistência técnica para o fomento à produção orgânica, saneamento básico e proteção de fontes, preservação e recuperação ambiental, inovação tecnológica e boas práticas de produção até o limite de R$ 250 mil por cooperativa ou associação.

Banco de alimentos

Foi investido R$ 1 milhão na modernização dos cinco bancos de alimentos das centrais atacadistas de alimentos do Paraná – as Ceasas de Curitiba, Maringá, Londrina, Cascavel e Foz do Iguaçu. Esses bancos de alimentos receberão equipamentos novos, onde poderá ser implantada uma oficina de gastronomia e de educação alimentar. Eles terão estoques regulares de alimentos minimamente processados também, para facilitar a distribuição ao público beneficiário.

Com isso, o objetivo é ampliar em 30% o atendimento de pessoas em situação de insegurança alimentar, vítimas de emergências e de calamidades públicas. Além disso, as ações que serão empreendidas nos Bancos de Alimentos visam estimular o combate ao desperdício e a padronização de procedimentos para oferecer alimentos seguros e de qualidade.

Leite das crianças

Neste ano, o programa Leite das Crianças atendeu 126.047 crianças por mês, com a distribuição de 3,8 milhões de litros de leite por mês, que consumiu investimentos de R$ 8,8 milhões mensais. De janeiro a outubro o governo do Paraná já investiu R$ 88 milhões no programa que distribui um litro de leite por dia para crianças de 6 meses a 36 meses de idade, de famílias em situação de vulnerabilidade social.

Houve um aumento de demanda do programa tanto de crianças atendidas, como produtores cadastrados a fornecerem o leite para os pequenos laticínios que entregam o leite nas escolas para distribuição. Foram mais 126 mil crianças atendidas, mesmo com a elevação no preço do leite comprado dos pequenos laticínios. E também no aumento de 4.338 produtores fornecedores.

Para o ano que vem, vários procedimentos serão aperfeiçoados, como o sistema de avaliação nutricional das crianças, sistema de fiscalização, melhoria na qualidade do leite cru resfriado que é entregue pelos produtores, capacitação das usinas, ingresso de novas usinas fornecedoras do leite.

Previous ArticleNext Article