Paraná vai investir R$ 23 milhões em 100 entidades da agricultura familiar

Mariana Ohde


Com informações da ANPR

O governo do Paraná vai investir R$ 23,1 milhões em ações para reduzir a pobreza, as desigualdades sociais e para promover a Segurança Alimentar e Nutricional neste ano. A medida deve beneficiar também mais de 100 entidades que representam a agricultura familiar, como cooperativas e associações de produtores, indígenas e quilombolas serão contempladas com repasse de recursos.

Os recursos são provenientes do Fundo Estadual de Combate à Pobreza (Fecop) e do programa Pró-rural – Programa de Desenvolvimento Econômico e Territorial – financiado com recursos do Banco Mundial.

No final do mês de setembro, o governo revogou a obrigatoriedade de que as organizações da agricultura familiar sejam detentoras da Lei de Utilidade Pública, para acesso a apoio financeiro governamental. Com a queda dessa medida, que era restritiva, a A Secretaria da Agricultura e Abastecimento (Seab) ganhou uma ferramenta que facilita o fortalecimento da agricultura familiar, ações de segurança alimentar e nutricional.

Investimentos

Após a aprovação da nova legislação, a Seab agilizou a publicação de editais para apresentação das propostas. O Departamento de Desenvolvimento Rural Sustentável (Deagro) publicou edital que recebeu inscrição de 48 projetos de iniciativas de negócios apresentadas por associações, cooperativas e organizações de produtores, indígenas e quilombolas, que totalizam R$ 14,1 milhões em apoios do programa Pró-rural.

Os projetos estão em fase de classificação e deverão receber, em média, R$ 295 mil por entidade.

O Departamento de Segurança Alimentar e Nutricional (Desan) vai operar o repasse de R$ 9 milhões e já publicou um edital de chamamento público às entidades, sendo que 73 delas apresentaram projetos.

Todos eles focados em cinco linhas de ação: boas práticas de produção, transformação e/ou comercialização; inovação tecnológica; fomento à produção orgânica; preservação e/ou recuperação ambiental; saneamento básico e proteção de fontes.

Os termos de fomento para esses apoios estão em fase de elaboração e serão assinados com as organizações.

Projetos

Segundo o secretário da Agricultura e Abastecimento, Norberto Ortigara, os projetos técnicos apresentados melhorarão a qualidade de vida dos agricultores. “Teremos melhora também na qualidade dos alimentos disponibilizados à população, além de fortalecer as organizações da agricultura e o desenvolvimento local e regional, criando um círculo virtuoso de resultados”, disse.

A diretora do Departamento de Segurança Alimentar, Valéria Nitsche, ressaltou a importância da diversificação dos projetos apresentados distribuídos em grande parte das regionais.

“Com a assinatura dos termos de fomento com essas organizações, a Secretaria de Agricultura contribuirá decisivamente para melhorar a qualidade e diversificação dos alimentos, ampliando a produção de alimentos orgânicos e contribuindo para a preservação ambiental e agregação de renda. Assim, cresce no estado as práticas sustentáveis, a oferta de alimentos mais saudáveis à população e o Direito Humano à Alimentação Adequada”, afirmou.

“Estamos considerando um atendimento melhorado tanto para os mercados quanto para os programas, não só na garantia da qualidade como também da diversificação dessa produção”.

Previous ArticleNext Article
Mariana Ohde
Repórter no Paraná Portal