Parceria internacional quer adaptar a produção cafeeira às mudanças climáticas

Plantao Agronegocio


Uma parceria internacional entre o Ministério do Meio Ambiente (MMA) e a organização não-governamental Hanns R. Neumann pretende identificar e divulgar mecanismos de adaptação aos impactos da mudança do clima na produção familiar e na pequena produção cafeeira. O acordo de cooperação técnica foi firmado após o The Climate Institute, organização que estuda o clima no mundo, estimar que em 30 anos a mudança do clima poderá reduzir pela metade a área tradicional do cultivo do café.

Tecnologia aumenta a produtividade e a rentabilidade do café no Brasil
Consumo de café atingiu 155 milhões de sacas em 2016/17

De acordo com o MMA, o documento prevê a elaboração de uma agenda comum de aprendizagem para promover a divulgação das boas práticas de adaptação e mitigação da mudança do clima no setor cafeeiro. Pelo acordo, não haverá repasses financeiros, cabendo ao MMA a identificação de parcerias para a realização de estudos que aprofundem a identificação das vulnerabilidades do setor cafeeiro aos novos tempos.

Para isso, o país fechou um acordo com a HRNS Brasil, instituição sem fins lucrativos apoia mais de 140 mil famílias de pequenos produtores de café em 18 países na América Latina, África e Ásia. A ideia é tornar o pequeno produtor mais competitivo e prepará-lo para enfrentar os problemas da mudança do clima em sua propriedade e capacitar pequenos agricultores e agricultores familiares a melhorar a renda e a qualidade de vida, explorando sua atividade de forma sustentável.

Segundo o Ministério da Agricultura e Abastecimento (Mapa), o Brasil possui cerca de 287 mil produtores de café, a esmagadora maioria mini e pequenos, responsável por 600 milhões de dólares anuais em exportações.

Com experiência de quase 25 anos nos setores de café e cacau, a organização não governamental é referência por sua eficiência em trabalhar de maneira competitiva a pequena produção familiar. No Brasil, atua nas cidades mineiras de Santo Antônio do Amparo, Nepomuceno, São Francisco de Paula, Lambari, Santa Margarida, Manhuaçu e Lavras, com previsão de expansão para a região do Cerrado e para o Espírito Santo.

Previous ArticleNext Article