Horto das Nações ganha árvores de cinco países

Redação


Os cônsules da Alemanha, Andreas Hoffrichter; da Itália, Rafaelle Festa; do Senegal, Ozeil Moura dos Santos; da Suíça,  Manuela Merki; e do Uruguai, José Luiz Remedi, plantaram árvores representativas as suas nações na Praça 29 de Março, no bairro Mercês, nesta quinta-feira (27/9).

O plantio revitaliza o Horto das Nações, espaço criado e inaugurado por Rafael Greca na primeira gestão como prefeito, em 1993, durante as festividades dos 300 anos de Curitiba. Na época foram plantadas árvores representando Uruguai, Itália, Alemanha, Japão, El Salvador, Paraguai, Polônia, Suíça e Portugal, acompanhadas de placas explicativas sobre as nações.

As novas árvores são exemplares de carvalheira (Alemanha), castanheira (Suíça), corticeira (Uruguai), flamboyant (Senegal),  álamo (Itália) e araucária (todas as nações). O evento também marcou o plantio da árvore número 310 mil (uma araucária) do engenheiro agrônomo responsável pelo Horto Municipal da Barreirinha, Roberto Salgueiro.

O assessor de Relações Internacionais da Prefeitura de Curitiba, Rodolpho Zannin, ressaltou a importância da preservação da praça e das etnias que, somadas a tantas outras, formaram Curitiba e o Paraná. “O plantio de hoje simboliza a revitalização da irmandade entre as nações que colonizaram Curitiba para as gerações futuras.”

Participaram da solenidade o príncipe da Nigéria, Gbolahan Ganiyu Olorunleke Anifowoshe; o secretário financeiro da Comunidade Nigeriana no Estado do Paraná, Abiola Sulaimon Yusuf; o coordenador de Etnias da Fundação Cultural de Curitiba, Carlos Hauer; o superintendente de Obras e Serviços da Secretaria do Meio Ambiente, Reinaldo Pilotto; o diretor de Parques e Praças, Jean Brasil; e o engenheiro florestal Jaime Luiz Cobalchini.

(Crédito: Cesar Brustolin/SMCS)

Revitalizada

A Praça 29 de Março, nome em homenagem ao aniversário da fundação da cidade, foi inaugurada em 1966. Localizada no bairro Mercês, ocupa um quarteirão entre as ruas Brigadeiro Franco, Padre Anchieta, Desembargador Motta e Martin Afonso e conta com um painel em baixo relevo de concreto de Poty Lazzarotto, que retrata trechos da história de Curitiba até a década de 70.

O espaço passou por zeladoria completa na atual gestão, com a reativação do chafariz, recuperação da iluminação pública e cênica, revitalização da pintura dos painéis, da quadra poliesportiva e do parquinho, retomando a frequência dos cidadãos no espaço. Aos domingos sedia concorrida Feira de Artesanato e a Feira Verde.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="557588" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]