Brasil vai exportar material genético bovino e bubalino para o Suriname

Redação

O Brasil vai exportar sêmen e embriões bovinos e bubalinos in vivo e in vitro para o Suriname. O anúncio foi feito nesta segunda-feira (15) pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). De acordo com a pasta, o Certificado de Saúde Animal foi aprovado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Pesca do Suriname.

Conforme o Mapa, as tratativas com o Suriname iniciaram em novembro de 2016, para alinhar a certificação firmada pelo Ministério nos embarques de sêmen bovino aos controles operacionais realizados pelas centrais de coleta e processamento deste material. A negociação também teve o objetivo de possibilitar as exportações de embriões bovinos “in vivo” e “in vitro”, que até então não podiam ser comercializadas para o Suriname, pois não havia acordo sanitário.

Em 2015, o Ministério, a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e a Associação Brasileira de Criadores de Zebu (ABCZ), uniram esforços para mapear oportunidades para ampliar mercados importadores de material genético bovino. A estratégia deu certo devido aos avanços sanitários do Brasil, principalmente o reconhecimento pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) do país ser livre da febre aftosa com vacinação.

Contribuiu também o melhoramento genético realizado nos últimos 50 anos, com a formação de rebanho de origem taurina e zebuína de alto desempenho, além do desenvolvimento de técnicas de transferência de material genético no campo, e o investimento feito pelos centros de coleta e processamento de sêmen e embriões em tecnologia e de biosseguridade, para atender as especificações internacionais.

Previous ArticleNext Article