BRDE libera R$ 40 milhões em financiamentos na Expoingá

Jordana Martinez e Victor Duarte Faria - Metro Maringá

A liberação dos financiamentos será durante a programação da Expoingá 2018.

Com BRDE

O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) assina neste sábado (5) contratos de R$ 40 milhões com cooperativas, produtores rurais e empresas da Região Noroeste do Paraná. A liberação dos financiamentos será durante a programação da Expoingá 2018, com a presença da governadora Cida Borghetti e do diretor-presidente do Banco, Orlando Pessuti, e dos diretores João Regiani, de Operações, e Luiz Noronha, de Planejamento.

Com as cooperativas Coamo e Cocamar serão assinados respectivamente contratos de R$ 14,2 milhões, para investimentos em unidades de recebimento e armazenagem de grãos, e de R$ 16,7 milhões, destinados também a unidades de recebimento de armazenagem de grãos e no moinho de trigo de Marialva. Financiamento de R$ 5 milhões será liberado para um empresa do setor de turismo, para reforma e ampliação de um hotel em Maringá.

Os contratos com produtores rurais cooperados somam mais de R$ milhões. Os produtores Ademir Molina e Márcia Fabris Molina, de São João do Ivaí, contrataram no BRDE R$ 700mil cada, para construção de dois aviários, para alojar nas duas unidades 67.200 aves por lote.  O produtor Antonio Marcos Darodda, de Apucarana, investirá R$ 708 mil para construção de um aviário com capacidade para abrigar 38.000 aves por lote.

Para o produtor Edmar Franco, de Novo Itacolomi , serão liberados R$ 713 mil para construção de um aviário com capacidade para alojar 38.000 aves/lote. Com o produtor Mário Nahirny, de Jataizinho, o Banco assinou contrato de R$ 635 mil. Ele também construirá um aviário com capacidade para alojar 38.000 aves por lote. O produtor José Moreira, de Cruzmaltina, terá R$ 713 mil para construção de um aviário com capacidade para alojar 38.000 aves por lote.

Negócios – O BRDE participa da 46ª Exposição Feira Agropecuária, Industrial e Comercial de Maringá – Expoingá 2018 com a oferta de linhas de financiamento para projetos de todos os setores da economia. O banco tem estande próprio na feira com equipe especializada para atendimento de parceiros e futuros clientes.

O BRDE poderá fechar negócios na Expoingá para apoio também de projetos inovadores dos setores de energia e sustentabilidade, como geração de energia e eficiência energética, uso racional e eficiente da água, gestão de resíduos e reciclagem, além das linhas destinadas a cadeia do agronegócio, pesquisa e desenvolvimento de novos produtos e serviços.

As linhas do BRDE para o agronegócio financiam a compra de máquinas e equipamentos; armazenagem; ampliação e construção de unidades frigoríficas e de beneficiamento; projetos de inovação tecnológica, modernização, florestas, comercialização de produtos da agropecuária, aquisição de matrizes e reprodutores, entre outros itens.

Durante a Expoingá 2017, o BRDE repassou R$ 36 milhões a setores produtivos de Maringá e região. Os contratos de financiamento foram assinados pelo Banco com empresários, cooperativas e produtos rurais, envolvendo financiamentos aos setores de avicultura, psicultura, tecnologia e recebimento e armazenagem de grãos.

 Investimentos no Paraná

João Regiano, diretor de operações do BRDE, explica que o investimento é de “relevância extrema” para o estado do Paraná. “Do cooperativismo se desdobram outras camadas do setor produtivo, no nosso estado”, explica. Ele enfatiza que os investimentos oferecidos na feira também são direcionados a outros setores, como indústria, empresários e agriculturas. “Temos a certeza de que estaremos gerando emprego, renda, desenvolvimento econômico para as diversas regiões”, afirma.

Para o presidente do BRDE, Orlando Pessuti, a geração de emprego e renda também é destaque, especialmente na produção de grãos, onde parte dos recursos disponibilizados, hoje, deve ser investido. “O Paraná foi, até alguns anos atrás, o principal produtor de grãos do país”, explica. “Hoje, estamos em segundo lugar, atrás do Mato Grosso, mas o grão ainda é significativo para nós, tanto no meio rural quanto no comércio e indústria”, explica. Segundo ele, 50% do PIB paranaense é devido ao agronegócio.

Para o superintendente administrativo efinanceiro da Cocamar, Alair Aparecido Zago. “É importante para que a gente vá modernizando e mantendo nossas estruturas prontas para esse grande trabalho que fazemos para nossos produtores”, diz. Segundo ele, os investimentos devem agregar valor, também, aos produtos dos cooperados.

Joel Makohin, gerente financeiro da Coamo, diz que o BRDE é uma das principais fontes de financiamento para os cooperados. “Esse investimento será feito em oito unidades e trará modernidade. A cooperativa foi fundada nos anos 70, a gente tem a necessidade de atualizar as estruturas”, afirma.

Previous ArticleNext Article
Jordana Martinez
Profissional multimídia com passagens pela Tv Band Curitiba, RPC, Rede Massa, RicTv, rádio CBNCuritiba e BandNewsCuritiba. Hoje é editora-chefe do Paraná Portal.
[post_explorer post_id="521129" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]