Começa a operar em Paranaguá novo terminal de líquidos

Francielly Azevedo e assessoria

Começou a operar nesta segunda-feira (11), em Paranaguá, o terminal de líquidos mais automatizado do Brasil. O primeiro navio, Falcon Maryam, vindo da Antuérpia, na Bélgica, está atracado no píer público de inflamáveis do Porto de Paranaguá, onde irá descarregar nas próximas horas 30 mil metros cúbicos de derivados de petróleo.

“Hoje, Paranaguá é o segundo Porto em movimentação de líquidos do Brasil, atrás apenas de Santos. Além disso, tivemos um crescimento neste segmento superior a 80% nos últimos cinco anos”, afirmou o diretor-presidente da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa), Lourenço Fregonese. Segundo ele, com este novo terminal o Porto será ainda mais competitivo. “É um investimento muito bem-vindo e que demonstra a confiança em nossas operações”, disse.

CAPACIDADE

O novo terminal da CBL tem capacidade para armazenar 93.715 metros cúbicos de carga, divididos em 18 tanques. Já a capacidade de movimentação mensal será de 200 milhões de litros.


O empresário Fabricio Fumagalli, do Grupo Interalli, disse que a linha de processo do terminal – que envolve desde o descarregamento do produto dos navios para os tanques, assim como dos tanques para os vagões e caminhões – é feita automaticamente.

“Investimos em tecnologia para oferecer aos nossos clientes maior segurança e confiabilidade no processo”, afirmou Fumagalli.

Com a inauguração, a capacidade de armazenamento total de líquidos do Porto de Paranaguá aumentará em cerca de 20%.

O terminal utilizará o píer público de inflamáveis de Paranaguá, em dois berços de atracação e está licenciado para o recebimento de óleo diesel, biodiesel, etanol, metanol, gasolina, nafta, entre outros.

O calado do berço permite a atracação de navios de até 48 mil metros cúbicos, com 210 metros de comprimento no berço externo e 190 metros de comprimento no berço interno.

MERCADO 

Paranaguá tem se tornado um destino cada vez mais frequente para a entrada de derivados líquidos no Brasil. Entre os anos de 2011 e 2017 a movimentação de líquidos pelo Porto paranaense cresceu 81%, saltando de 4,2 milhões de toneladas em 2011, para 7,7 milhões de toneladas em 2017.

De janeiro a abril de 2017, por exemplo, a movimentação de graneis líquidos teve forte alta, de 15% em 2,6 milhões de toneladas movimentadas.

“Estamos colocando em operação um terminal 100% automatizado, com a maior capacidade de movimentação ferroviária de Paranaguá e preparado para atender o mercado nacional e internacional”, ressaltou Fabrício Fumagalli.

O novo terminal da CBL foi construído em área própria, e levou 24 meses para ser concluído e estão sendo gerados aproximadamente 350 empregos diretos e indiretos no município.

CAPACIDADE 

O terminal conta com duas linhas em aço inox interligadas ao píer público de líquidos do Porto de Paranaguá para recebimento e expedição de produtos dos navios tanques. Essas linhas estão acopladas a três bombas com capacidade nominal de 600 metros cúbicos por hora (m3/h) cada. Assim, é possível operações de carregamento de navios com 1.200 m3/h.

O novo terminal da CBL conta com oito plataformas rodoviárias e quatro rodoferroviárias, com capacidade para receber até 12 caminhões simultaneamente de todos os tamanhos.

Para o modal ferroviário, o sistema da CBL possibilita operar 32 vagões simultaneamente, sendo o terminal com maior capacidade para movimentação ferroviária no Porto de Paranaguá. O ramal ferroviário conta com 16 pontos de operação que juntos oferecem uma capacidade de recebimento e expedição de 960 metros cúbicos por hora.

INFORMAÇÕES TÉCNICAS 

Todos os tanques para armazenamento de líquidos são de formato cilíndrico vertical, com fundo plano, construídos com chapa de aço estrutural ASTM A-36, conforme normas brasileiras para o setor.

Os tanques são dotados de sistema de combate a incêndio através de câmaras de espuma e anéis com aspersores para resfriamento automático dos costados. O terminal conta ainda com um tanque de água para combate a incêndio com capacidade de 4.410,00 m3.

Todos os funcionários do terminal, da área administrativa e operacional, já passaram por cursos de qualificação, treinamento e preparo para atuar neste tipo de atividade.

Post anteriorPróximo post
Jornalista, formada pela Universidade Tuiuti do Paraná. Repórter do Paraná Portal e Rádio CBN. Tem passagens pela TV éParaná, TV Assembleia, TV Transamérica, CATVE, Rádio Iguassu e Folha de Londrina.
Comentários de Facebook